A inflação para as famílias com baixa renda avançou em janeiro

FONTE: O SUL

O IPC-C1 (Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1), conhecido como a inflação para as famílias com baixa renda, de janeiro subiu 0,61%, ficando 0,29 ponto percentual acima de dezembro, quando o índice registrou taxa de 0,32%. Com o resultado, o indicador acumulou alta de 4,29% nos últimos 12 meses. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (05) pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Em janeiro, o IPC-BR subiu 0,57%. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 4,19%, nível abaixo do registrado pelo IPC-C1. Nesta apuração, seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação: Transportes (-0,52% para 1,84%), Educação, Leitura e Recreação (0,66% para 2,00%), Habitação (0,10% para 0,19%), Alimentação (0,83% para 0,84%), Despesas Diversas (0,09% para 0,27%) e Comunicação (-0,02% para 0,01%).

Nestes grupos, vale destacar o comportamento dos itens: tarifa de ônibus urbano (-0,32% para 3,87%), cursos formais (0,00% para 6,40%), tarifa de eletricidade residencial (-1,05% para 0,12%), laticínios (-3,19% para 1,88%), cartório (-0,01% para 4,65%) e pacotes de telefonia fixa e internet (0,00% para 0,51%).

Em contrapartida, os grupos Vestuário (0,70% para -0,56%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,29% para -0,02%), apresentaram recuo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, destacam-se os itens roupas (0,87% para -0,65%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (0,36% para -0,54%).

Consumidor

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal), calculado pela FGV, aumentou em quatro das sete capitais pesquisadas, entre elas Porto Alegre, na última semana de janeiro, segundo dados divulgados na segunda-feira (04) pela FGV.

Na Capital gaúcha, o IPC-S registrou variação de 0,36% no período. O resultado foi 0,02 ponto percentual superior ao verificado na terceira semana de janeiro. Nesta apuração, três das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração em suas taxas de variação em Porto Alegre, entre as quais se destacam os grupos Educação, Leitura e Recreação e Despesas Diversas, cujas taxas passaram de 0,78% para 2,02% e de 0,32% para 0,49%, respectivamente.

A inflação para o consumidor também subiu em Belo Horizonte (de 0,71% para 0,80%), Recife (de 0,45% para 0,48%) e São Paulo (de 0,73% para 0,82%). O índice caiu em Salvador (de 0,51% para 0,47%), Brasília (de 0,38% para 0,29%) e Rio de Janeiro (de 0,70% para 0,49%).

Produção industrial

Em dezembro de 2018, a produção industrial brasileira aumentou 0,2% frente ao mês anterior (série com ajuste sazonal), eliminando, assim, a variação negativa de 0,1% de novembro. Em relação a dezembro de 2017 (série sem ajuste sazonal), a indústria caiu 3,6%, após também registrar queda em novembro de 2018 (-1,0%). Com esses resultados, o setor industrial recuou 1,1% no fechamento do quarto trimestre de 2018, mas mostrou variação positiva de 0,1% no acumulado do segundo semestre do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *