Após denúncia de desvio de combustível de ambulâncias, prefeita de Pelotas determina exoneração de servidor

FONTE: G1.COM/RS

Um servidor da Prefeitura de Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul, teve a exoneração determinada pela prefeita Paula Mascarenhas, devido à suspeita de desvio de combustíveis de ambulâncias do Serviço Médico de Urgência (Samu). O funcionário atuava na Secretaria da Saúde, sendo responsável pela fiscalização e gestão de frotas dos veículos, segundo nota divulgada nesta segunda-feira (9) pela administração municipal.

A prefeita, que está em férias fora do país, também determinou que seja realizada uma inspeção que deve abranger toda a frota do município, começando pelos veículos da Secretaria da Saúde. O texto diz também que estão sendo instalados rastreadores em todos os automóveis da prefeitura, como resultado de uma licitação realizada no ano passado. Atualmente, 60% da frota conta com o equipamento.

“Nas ambulâncias do Samu, os rastreadores serão instalados junto a monitores de TV para registrar desde a ligação do usuário até a chegada ao atendimento. A eficiência no uso do combustível em veículos oficiais é prioridade para a Prefeitura”, diz trecho do documento.

Desvio e adulteração
De acordo com a denúncia veiculada em reportagem do Jornal do Almoço, motoristas temporários que atuaram conduzindo ambulâncias denunciaram o desvio de combustível dos veículos de atendimento emergencial da cidade. De acordo com documentação apresentada por eles, ambulâncias do Samu que estariam paradas para conserto teriam sido abastecidas. Outra irregularidade seria ainda a adulteração de quilometragem.

A reportagem da RBS TV teve acesso à documentação que mostra veículos que passavam por reformas constavam na lista de abastecimento. As planilhas apresentadas pelos motoristas, segundo eles, comprovam as irregularidades. Um dos casos mostra que um veículo foi abastecido três vezes no dia 26 dezembro. Às 5h33, e depois às 5h39. Neste intervalo de seis minutos depois, o veículo teria percorrido 351 quilômetros, algo impossível de ser feito porque seria necessária uma velocidade quatro vezes maior que a de um avião comercial.

No ano passado os governos municipal, estadual e federal repassaram R$ 10 milhões para o Samu, para a realização de 10 mil atendimentos. No entanto, a prestação de contas aponta possíveis desvios, conforme denunciam três motoristas que atuaram ao longo de períodos de seis a 11 anos. Nos últimos dias eles foram dispensados para que pessoas que passaram em concurso assumissem as vagas, e resolveram fazer a denúncia.

“Dois abastecimentos que são impossíveis de acontecer. Sendo que um deles é de 49 litros. Provavelmente ela (a ambulância) foi encaminhada até a oficina com o tanque cheio e lá retirado, e colocado em galões, ou em um outro carro particular”, diz um dos motoristas, que pediu para não se identificar.

Os motoristas denunciam ainda o abastecimento de veículos que estavam na oficina, fora de serviço. No dia 8 de março, a mesma ambulância, que estava em manutenção, teria viajado a Porto Alegre. Consta o pagamento de diárias para o motorista, mas ele nega que tenha estado na capital gaúcha nesta data.

“Essa caminhonete tem vários abastecimentos que não procedem. Tenho, inclusive, o do dia 8 de março, eu tenho diária no meu nome, e a caminhonete está em manutenção na oficina. E eu não abasteci nenhuma viatura para viajar”, afirma o motorista. A mesma situação se repete no dia 14 daquele mês, mas o motorista também nega que a viagem tenha sido realizada.

A atual coordenadoria do Samu em Pelotas assumiu o cargo há poucos dias. Quando indagada sobre a quilometragem acredita que tenha ocorrido um problema na anotação. “Acho que talvez tenha sido um erro de digitação. Vou investigar. Estou tendo conhecimento desses documentos neste momento”, afirma a coordenadora do Samu, Rosangela Aveiro Carneiro.

A Secretaria de Saúde de Pelotas, Ana Costa, informou que abriu uma sindicância para descobrir se o combustível foi retirado do tanque depois dos abastecimentos. “Ela pode gerar demissões, devoluções, honorários, dependo do que for constatado na sindicância […] Nós já temos medidas preventivas”, afirma a secretária, citando a licitação para instalação de rastreadores em mais de 60% dos veículos da secretaria, para “ter um controle sobre o uso de combustíveis”.

Íntegra da nota da prefeitura
Em relação à denúncia de possíveis desvios de combustíveis e adulteração do marcador de quilometragem em ambulâncias do Serviço Médico de Urgência (Samu) de Pelotas, apresentada por ex-motoristas do Samu do Município, e exibidas pela RBS no Jornal do Almoço dessa segunda-feira (9), a Prefeitura vem a público informar que, ao saber da denúncia, a prefeita Paula Mascarenhas, apesar de estar em férias fora do país, determinou as seguintes providências:

– A exoneração do funcionário responsável pela fiscalização e gestão de frotas da Secretaria e abertura de uma sindicância que deverá apurar, com urgência e clareza, todas as informações e responsabilidades de possíveis envolvidos nas eventuais irregularidades ou ilegalidades.

– A abertura de um pedido de inspeção na Unidade Central de Controle Interno (UCCI), que deverá abranger todo o abastecimento da frota de veículos da Prefeitura de Pelotas, iniciando pela Secretaria municipal de Saúde.

Cumpre informar que a atual administração realizou, em agosto de 2017, licitação para instalar rastreadores nos veículos da Secretaria de Saúde, com o objetivo de otimizar a gestão das viaturas e coibir qualquer irregularidade no uso destes veículos. Atualmente, 60% da frota já possui o equipamento. Nas ambulâncias do Samu, os rastreadores serão instalados junto a monitores de TV para registrar desde a ligação do usuário até a chegada ao atendimento. A eficiência no uso do combustível em veículos oficiais é prioridade para a Prefeitura, que já possui rastreadores nos veículos do Serviço de Saneamento de Pelotas (Sanep) e, também, exigiu a instalação destes equipamentos em veículos de empresa terceirizada que presta serviços à Secretaria de Serviços Urbanos (SSUI).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *