Cinco homens foram presos durante uma operação de combate à violência contra as mulheres em Porto Alegre e Canoas

FONTE: O SUL

A Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) de Porto Alegre deflagrou, na manhã desta quarta-feira (27), a Operação Themis, com o objetivo de combater a violência contra as mulheres e o crime de feminicídio. Durante a operação, realizada na Capital e em Canoas, cinco homens foram presos – quatro deles preventivamente por descumprimento de medidas protetivas e um em flagrante.

Com os presos, foram apreendidas seis armas de fogo, sendo duas pistolas e quatro revólveres, além de um simulacro e munições de diversos calibres. Em uma das residências, foram localizadas diversas peças de roupas com símbolos da Polícia Civil e insígnias. Segundo a delegada Tatiana Barreira Bastos, as armas apreendidas eram utilizadas pelos indivíduos para ameaçar e intimidar as vítimas no âmbito familiar. “O indivíduo preso com as roupas da Polícia Civil era conhecido pelos vizinhos como sendo policial”, disse a delegada.

Aproximadamente 45 policiais civis participaram da Operação Themis. Foram cumpridos 17 mandados de busca e apreensão e sete de prisão preventiva em diversos bairros de Porto Alegre e Canoas.

Feminicídios

No fim do ano passado, um total de 10.786 processos de feminicídio – assassinatos de mulheres em função do gênero – aguardavam julgamento nos Tribunais Estaduais de Justiça do Brasil, segundo um levantamento do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

“O volume de processos é maior do que a capacidade da Justiça de julgar responsáveis pelos crimes. O ano de 2017 terminou com 10,7 mil processos de feminicídio sem solução da Justiça”, destaca o relatório. O número é mais do que o dobro do registrado em 2016, que foi de 5.173.

Quase metade dos casos pendentes na Justiça em 2017, ou 4.925 processos, correspondia a um único Tribunal de Justiça: o do Paraná. Curiosamente, o Estado é também o que mais proferiu sentenças relacionadas a casos de feminicídio no ano passado, somando um total de 2.872.

Drogas

Na manhã desta quarta-feira, a Polícia Civil fechou um local de preparação de drogas para venda e distribuição no bairro Mario Quintana, na Zona Norte de Porto Alegre. A ação da 3ª Delegacia de Investigação do Narcotráfico resultou na prisão em flagrante de dois homens e uma mulher.

Conforme o delegado Rafael Pereira, na casa onde os presos estavam, eram fracionadas drogas que posteriormente eram vendidas em pontos daquele bairro. Com os presos, foram localizadas diversas porções de maconha e cocaína, além de pinos utilizados para embalar as drogas, três balanças de precisão, anotações do tráfico e dinheiro trocado. As prisões são decorrentes do cumprimento de mandado de busca em investigação que apura crimes praticados por uma organização criminosa, de acordo com o delegado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *