DIREITOS DOS TRABALHADORES FOI TEMA DE SESSÃO DO VEREADOR NESTOR

O vereador Nestor Schwertner (PT) realizou na segunda-feira, 2 de maio, Sessão Solene pelos Direitos dos Trabalhadores, com a presença do presidente Estadual da CUT, Claudir Nespolo, do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo, Valmir Lodi, da representante das Cooperativas habitacionais, Jussara Lanfermann, do presidente do PT leopoldense, Zé Carlos Pereira, entre outras lideranças.

Nestor, proponente da sessão, falou da importância do dia 1° de maio e de continuar a luta pelos direitos dos trabalhadores. “Dia do Trabalhador é dia de resistência e de reflexão, ainda mais em um ano que vivemos um golpe, onde estamos próximos de termos muitos direitos dos trabalhadores engavetados, como já articula o vice-presidente, para que as aponsetadorias passem aos 65 anos, com reajuste por inflação. Quem sofre com o golpe são os trabalhadores que tem carteira assinada, com seguro-desemprego, FGTS, que hoje tem oportunidade de entrar numa Faculdade através do Pró-Uni. O prejudicado será sempre o trabalhador, e esta luta deverá ficar mais forte”, ressaltou o vereador.

O presidente da CUT, Claudir Nespolo, contou a história que tornou o dia 1° de Maio o Dia do Trabalhador, quando neste dia em 1886 iniciou-se uma greve por melhores salários e pela redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias, em Chicago nos EUA, onde aconteceram inúmeros confrontos, chegando ao extremo de grevistas serem condenados à morte. “Este é o 1° de Maio mais difícil de nossas vidas, pois se tirarem a Dilma, tentarão acabar com a luta de classe. Os golpistas querem tirar nossos direitos e não deixaremos fácil para eles”, disse Claudir.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Leopoldo, Valmir Lodi, frisou a importância da diminuição da jornada de trabalho. “Estamos em luta pela diminuição da jornada de trabalho, pois ela é uma das mais extensas do mundo (44h). Além desta medida ser um instrumento para vencer o desemprego, ainda daremos melhores condições de vida ao trabalhador”, explicou Valmir.

 

 

Fonte: Camara SL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *