Maduro e obediente, Cruzeiro segue estratégia à risca e leva a vantagem para São Paulo

Seguro, consciente e obediente. Assim foi o time do Cruzeiro nos primeiros 90 minutos da decisão da Copa do Brasil, contra o Corinthians, no Mineirão. A vantagem que o time de Mano Menezes leva para São Paulo foi construída com uma atuação muito madura dos jogadores. O Cruzeiro não correu riscos na partida. E conseguiu fazer isso sem abdicar de criar boas chances de marcar. É fato: o 1 a 0 no Gigante da Pampulha foi pouco, o time poderia ter vencido de mais, mas não há o que lamentar.

A característica deste Cruzeiro é essa. O time não corre o risco de “dar um passo maior que as pernas”. Dá passos curtos, mas absolutamente firmes e equilibrados. E a vitória dessa quarta foi mais um desses passos rumo ao hexa da Copa do Brasil.

Cruzeiro propositivo, mas consciente
O que se esperava da partida foi o que se viu nos primeiros minutos. Um jogo equilibrado, muito estudado, com poucas chances de gol para os dois lados. O Cruzeiro jogava em casa e precisava atacar, mas mostrou equilíbrio chegando à frente sem correr riscos, aproveitando vacilos do adversário, lances de contra-ataque e de bola parada. Thiago Neves (quem mais criou pelo lado do Cruzeiro) experimentou de fora da área e batizou a trave. Henrique, de cabeça, exigiu grande defesa do goleiro Cássio. O Cruzeiro ganhava terreno.

“Água mole em pedra dura…”. E furou. Pelo alto, em um lance muito treinado pelos adversários, Thiago Neves cabeceou, contou com desvio do zagueiro Henrique e saiu para o abraço. O resultado de 1 a 0 foi levado para o intervalo e faria o Cruzeiro assumir uma postura ainda mais segura na etapa final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *