According to the world bank in a preliminary report findings on poverty calculates the poverty line at 0.88 cents a day whilst 49.9% people live below poverty line in Timor-Leste. Most waste is dumped directly onto pavements and garbage are seldom collected. Rivers filled wih plastic will spill the waste near and into the sea. Photo by Martine Perret/UNMIT 3 December 2008

Milhares de foliões curtiram mais um fim-de-semana do Carnaval de Rua de Porto Alegre

FONTE: O SUL

Sem a chuva prevista para este domingo, milhares de pessoas voltaram à Praça Garibaldi, no bairro Cidade Baixa, para mais uma tarde e noite de Carnaval de Rua. Sob o comando de três blocos a se revezar (Panteras do Samba, Ziriguidum e Bloco do Isopor) das 12h às 21h no local, foliões das mais variadas idades e perfis curtiram a festa ao som de um repertório eclético de sambas, marchinhas, versões da MPB e outros gêneros.

Segundo a Brigada Militar e a Guarda Municipal, até o fim da tarde não haviam sido registrados incidentes de maior gravidade. O público também elogiava as estruturas — várias bancas vendiam bebidas e comidas na região. A ampla disponibilidade de banheiros públicos era um alívio para quem exagerava nos líquidos.

No próximo fim-de-semana tem mais, desta vez na Orla do Guaíba: Os blocos do Bartira, Puxa Que É Peruca e Olha o Passarinho do Mario se apresentam no sábado. Já Os Dinobicos, Gonhas da Folia e Tem Tudo Para Dar Errado são as atrações do domingo.

Sábado

No sábado, a chuva não impediu que 15 mil foliões se dirigissem à Praça Garibaldi, onde animação ficou por conta dos blocos Maria do Bairro e Areal da Baronesa do Futuro, das 14h às 21h. O mau tempo, no entanto, fez com que a programação fosse parcialmente alterada, com a apresentação do bloco Panteras do Samba transferidas para o domingo, quando também desfilaram o Ziriguidum e Bloco do Isopor.

“Apesar de um dia ranzinza e chuvoso, tivemos mais um dia em que as pessoas brincaram com tranquilidade, segurança e organização”, elogiou o secretário-adjunto da Cultura, Leonardo Maricato.

Contando com uma estrutura montada com banheiros químicos, segurança privada, equipes de apoio e de limpeza, food trucks, caminhão-bar e UTIs móveis, o público, que foi chegando aos poucos no local, sob a companhia dos foliões do Maria do Bairro desde o começo da tarde. Um dos responsáveis pela retomada do Carnaval de Rua da Capital, o grupo tem 13 anos de atividade e prestou uma homenagem a Sofia Veloso, abolicionista porto-alegrense do século 19 e que dá nome a uma das ruas do bairro Cidade Baixa.

O Maria do Bairro executou composições próprias, clássicos do rock brasileiro em versão samba e marchinhas clássicas de Carnaval, como “Cabeleira do Zezé”. “Apesar da chuva, vocês estão mostrando que sabem curtir a vida, fazendo uma linda festa. Eu tenho muito orgulho em fazer parte do Carnaval de Rua de Porto Alegre”, declarou Paulo Gasparotto, celebridade e jornalista gaúcho e um dos autores do tema deste ano do Maria do Bairro.

O público, que começava a se aglomerar em frente ao trio-elétrico, em diversos momentos contou com a presença das passistas do bloco, que deixaram o caminhão para se juntar aos foliões na pista. A alegria foi contagiante do início ao final.

Quando a chuva parou, outras pessoas chegaram à Praça Garibaldi para se reunir em frente ao trio elétrico da Areal da Baronesa do Futuro. O grupo começou o seu aquecimento por volta das 18h30min, em um trecho fechado da avenida Aureliano de Figueiredo Pinto. “O Areal da Baronesa sente uma alegria enorme em participar do Carnaval de Rua de Porto Alegre, que tem história e sempre foi muito democrático”, anunciou Mestre Paulinho, um dos líderes do grupo, na abertura do bloco.

Com um grupo de passistas mirins à frente do caminhão de som com a bateria posicionada logo atrás, o Areal da Baronesa do Futuro encerrou o sábado levando uma verdadeira multidão até a Praça Henrique Luís Adessler, na esquina da avenida Aureliano de Figueiredo Pinto com a rua Baronesa do Gravataí. O bloco, que está em atividade desde 2003, tem as suas origens na escola Academia de Samba Integração do Areal da Baronesa e na comunidade quilombola localizada na divisa dos bairros Cidade Baixa e Menino Deus.

Executando somente músicas conhecidíssimas do público, o Areal da Baronesa do Futuro comandou uma festa muito divertida, que foi sucesso absoluto. Todas as pessoas que compareceram à Praça Garibaldi, com a família com amigos, pularam e cantaram ao som de hinos absolutos do Carnaval brasileiro, como o samba-enredo “É Hoje”, imortalizado pela escola de samba União da Ilha do Governador, em 1982. A programação vai até 24 de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *