O Brasil tem mais de 208 milhões de habitantes, aponta o IBGE

O Brasil tem 208,4 milhões de habitantes, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publicados nesta quarta-feira (29) no DOU (Diário Oficial da União). No ano passado, a população do País totalizava 207,6 milhões de pessoas.

Três Estados do Sudeste estão no topo da lista dos mais populosos. São Paulo lidera, com 45.538.936 habitantes – a capital do Estado tem hoje 12.176.866 pessoas. Depois, vêm Minas Gerais, com 21.040.662 habitantes; e Rio de Janeiro, com 17.159.960.

No Nordeste, a Bahia tem a maior população da região, com 14.812.617 habitantes. No Sul, Paraná e Rio Grande do Sul quase empatam no número de pessoas, com 11.348.937 e 11.329.605 habitantes, respectivamente. No Norte, o Estado do Pará é o mais populoso, com 8.513.497 habitantes. No Centro-Oeste, o Estado de Goiás tem 6.921.161 de habitantes.

Entre outros objetivos, as novas estimativas do IBGE serão utilizadas para o cálculo das cotas dos fundos de participação de Estados e municípios. Os dados têm data de referência em 1º de julho de 2018 e estão organizados por Estados, Distrito Federal e municípios.

Censo

O IBGE refutou a possibilidade de reduzir o Censo Demográfico previsto para 2020 caso não seja liberada a verba necessária para o levantamento, calculada em R$ 3,4 bilhões. Esse valor, no entanto, foi considerado “fora de cogitação” pela equipe econômica do governo.

A falta de recursos pode ameaçar o próximo censo demográfico. Para seguir com os preparativos da pesquisa, que vai coletar dados na casa de todos os brasileiros, o IBGE precisaria de R$ 1 bilhão já em 2019. Mas só deve receber entre R$ 200 milhões e R$ 250 milhões no ano que vem.

Mas a direção do IBGE afirma que a redução de valor inviabilizaria a pesquisa. “A Direção do IBGE já se reuniu com representantes do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão para justificar a necessidade do valor solicitado. No caso do Censo Demográfico, não é possível reduzir o projeto, uma vez que, para a operação ser realizada, faz-se necessária a contratação de aproximadamente 240 mil funcionários temporários, a maior parte deles, recenseadores”, justificou o IBGE, em nota.

A avaliação da equipe econômica era que o IBGE precisaria “racionalizar” o levantamento, uma vez que só será possível liberar cerca de R$ 250 milhões para a preparação da pesquisa em 2019. Segundo apurou a reportagem, o governo inclusive já deu indicações ao IBGE sobre a real expectativa de liberação de recursos para o Censo.

O IBGE informou que os gastos do Censo Demográfico foram reprogramados, portanto só foi enviado ao Ministério do Planejamento um pedido de R$ 344 milhões para investimento em equipamentos e software no ano de 2019. Mesmo assim, o valor destinado pelo governo ficará abaixo do solicitado.

Fonte: O Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *