O Ministério da Saúde estima que as mortes por diabetes cresceram 12% no País em seis anos

FONTE: O SUL

O Brasil registrou um crescimento de 12% no número de mortes por diabetes no período entre 2010 e 2016, mostram dados do SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade) do Ministério da Saúde. Ao todo, foram 54.877 óbitos causados pela doença em 2010, contra 61.398 em 2016.

Nesses seis anos, o País registrou 406.452 casos fatais relacionados ao diabetes. Já a quantidade de internações motivadas pela doença sofreu queda: foram 148.384 em 2010 e 135.364 em 2016.

Os dados foram divulgados pelo governo federal nessa quarta-feira, quando foi celebrado o Dia Nacional de Controle do Diabetes.

“O diabetes é uma doença crônica que pode ser evitada, desde que hábitos saudáveis, como uma alimentação adequada e a prática de atividade física, sejam adotados”, salientou uma nota divulgada pela coordenadora de programa de doenças não transmissíveis do Ministério, Marta Coelho.

A pasta também aproveitou a efeméride para divulgar dados do Vigitel (Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) sobre a diabetes.

De acordo com o levantamento, entre 2006 e 2017 o número de homens que apresentou diagnóstico da doença cresceu 54%. Em 2006, a parcela masculina de portadores do diabetes contabilizava 4,6% do total, índice que em 2017 subiu para 7,1%.

Já entre as mulheres, o diabetes cresceu 28,5% no período, apesar do número de portadoras da condição ser maior que o de homens – segmento no qual a expansão foi de 8,1%.

Entenda

O diabetes é uma condição crônica em que há aumento das taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia). A glicose aumentada é uma condição tóxica para o organismo e está associada à insuficiência renal crônica, doenças cardiovasculares, perda da visão e amputações dos membros inferiores, dentre outros problemas.

Os tratamentos para a doença têm por objetivo controlar as taxas de açúcar no sangue e evitar complicações decorrentes. Uma das medicações mais utilizadas é o cloridado de metformina, que ajuda a controlar a diabetes tipo 2.

O medicamento diminui a produção de glicose pelo fígado, aumenta a sensibilidade das células à insulina e reduz a absorção de glicose pelo intestino.

Dentre as metas de saúde pública, o Ministério da Saúde cita comprometimentos com a redução da obesidade. Até 2019, o governo federal espera reduzir em 30% o consumo regular de refrigerantes e sucos artificiais.

Também até 2019, a pasta espera aumentar em no mínimo 17,8% o número de adultos que consomem frutas e verduras com frequência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *