Polícia Civil apreende mais de 80 kg de cocaína

Agentes da 1ª DIN, coordenados pelo Delegado Guilherme Calderipe, finalizaram nessa madrugada a Operação Pater em duas cidades da região metropolitana, em Canoas e Esteio. O Diretor de Investigações Delegado Mario Souza afirma que “foi uma ação ímpar do DENARC”.

Após mais de 10 meses de investigações, utilizando monitoramentos e modernas técnicas de investigação um laboratório de droga foi encontrado pelos policiais civis no bairro Guajuviras, em Canoas.

Nesse local os policiais depararam-se com um verdadeiro “complexo” de produção de drogas, originadas a partir da pasta base, com várias balanças de precisão, acessórios para produção e embalo de crack e cocaína, formas, fornos, produtos químicos para mistura e aumento das drogas, máscaras cirúrgicas, facas, tesouras, embalagens, fitas adesivas, liquidificadores, utensílios de cozinha, etiquetas identificadoras de drogas, os agentes encontraram ainda os instrumentos e símbolos para “marcar” a droga produzida de acordo com a qualidade e origem.

No local foram apreendidos mais de 80kg de cocaína já produzidos e preparados para venda, além de 4,5kg de maconha e cerca de 150 gramas de crack, provavelmente este crack é resto de processo de refinamento e fabricação.

O principal investigado, de 48 anos, é suspeito de fazer parte da liderança de uma facção criminosa, foi preso em flagrante. Ele e o filho, preso anteriormente pelo DENARC, eram os alvos da operação Pater.

O filho já havia sido preso pelo DENARC e hoje foi preso o pai, o verdadeiro articulador do crime organizado.

A Operação contra o narcotráfico que leva esse nome devido a simbologia dos dois homens investigados, bem como o raro conhecimento do preso  de 48 anos, um dos poucos traficantes gaúchos que domina o processo de refinamento e fabricação de cocaína e crack, tudo baseado na pasta base, ou seja no cloridrato de cocaína.

O homem preso era monitorado a mais de 10 meses pelo DENARC, e os policiais agiram no momento exato, de forma cirúrgica, explica o Diretor de Investigações do DENARC , Delegado Mario Souza.

O titular da 1ª DIN, Delegado Calderipe, afirmou que o objetivo principal da operação era descobrir o local de preparo da droga distribuída pela facção na capital e na região metropolitana e RS. Uma equipe trabalhou especificamente no caso durante dez meses.

O Diretor de Investigações do Narcotráfico Delegado Mario Souza afirmou que “esse sistema de laboratório de drogas foi desarticulado e repercutirá como um golpe contra o crime organizado”. E complementa “hoje foi positivo para sociedade gaúcha e o crime foi desarticulado”. “Avaliação em 1 milhão de reais das drogas”.

O diretor geral do DENARC Delegado  Odival Soares destaca a quantidade de drogas apreendidas, “uma marca histórica de 80 quilos”.

” A Polícia Civil cortou parte do fornecimento de cocaína para todo o RS”, afirma o Chefe de Polícia Delegado Emerson Wendt.

O preso foi encaminhado ao sistema prisional.

Disque denúncia FONE 0800 518 518 E-MAIL www.pc.rs.gov.br WHATS E TELEGRAM (51) 84187814

Fonte: Policia Civil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *