Procon divulga pesquisa com material escolar

O Procon realizou uma pesquisa comparativa de preços de material escolar entre o segmento de livrarias e papelarias do município. A coleta de dados ocorreu na segunda quinzena de janeiro entre os fornecedores que aceitaram participar da pesquisa. Apesar da grande variedade no mercado, foram selecionados itens comuns nas listas solicitadas nas escolas leopoldenses. Cada fornecedor foi requisitado a informar se possuía o item, o menor valor com aquelas características e a marca do produto.

“É comum que cada papelaria ou livraria trabalhe com determinados fornecedores. Na pesquisa, ao requisitar o menor valor, juntamente com a marca, pode-se ter uma ideia da grande variação de preços que um mesmo produto com características idênticas pode sofrer de um estabelecimento para outro”, explica o diretor do Procon-SL, Clóvis Okada.

Margarete Dias, servidora do Procon, acrescenta que, dentre 13 fornecedores convidados, 10 aceitaram participar da pesquisa. “Houve uma grande adesão. É muito importante que o fornecedor tenha a percepção que a pesquisa também favorece o fornecedor, que expõe o seu nome e as marcas dos produtos que comercializa”.

O consumidor também ganha, pois conhece o fornecedor e pode optar em adquirir os produtos mais em conta de cada fornecedor. “É uma relação benéfica para ambos”, sintetiza Margarete.

A pesquisa de preços é um poderoso instrumento para o consumidor. Através dela, o consumidor pode adquirir os produtos com menor preço em diferentes estabelecimentos, fazendo assim, uma grande economia. “Podemos constatar isso na prática, nos estabelecimentos participantes da pesquisa”, afirma Clovis Okada.

 

Diferença de preços

 

A variação de preços identificada ultrapassou os 1000% em alguns itens. “Isso significa dizer que, se um consumidor não realizou uma pesquisa prévia antes de adquirir um item, poderá se surpreender ao verificar que em outra loja poderia ter adquirido, no mínimo, outros 9 e ainda sairia com um bom troco no bolso”, assegura Margarete.

 

Economia e sustentabilidade

 

A economia no material escolar pode começar dentro de casa. Antes de comprar os itens da lista, verifique se já possui algum produto, mesmo que usado, mas em bom estado, que pode ser reaproveitado. “Novo Ano Letivo não deve ser sinônimo de material escolar novo. Essa consciência de reutilização e sustentabilidade deve ser estimulado pelos pais e despertado nos jovens desde cedo”, aconselha Okada.

Os pais também podem participar ativamente, além da pesquisa, promovendo e organizando grupos para compras coletivas de material. Dependendo, a quantidade de produtos a ser adquirida pelo grupo pode significar ótimos descontos junto ao fornecedor. Trocas de livros didáticos entre pais, com filhos em idade escolar diferentes, também pode ser uma boa oportunidade de economia.

O Procon também lembra que ao adquirir qualquer material deve-se exigir sempre a nota fiscal, que é garantia para exercer os seus direitos de consumidor.

Fonte: Prefeitura SL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *