São Leopoldo inaugura o primeiro chimarródromo que fornece erva-mate em máquina

Estrutura será instalada na Casa de Turismo do Marco Zero

 

São Leopoldo inova mais uma vez e faz um mergulho no tradicionalismo gaúcho valorizando um dos principais símbolos da nossa terra reconhecido em todo mundo, o chimarrão. Em menos de dez dias, o município, que já traz o título de berço da colonização alemã no Brasil, irá inaugurar o primeiro chimarródromo do mundo a fornecer uma máquina que traz, além da água quente, a erva-mate. A estrutura será inaugurada na Casa de Turismo do Marco Zero da Rota Romântica.
Tradicionalmente, os chimarródromos existentes hoje em várias cidades gaúchas são locais de encontro e socialização de muitas famílias e amigos. Os amantes do chimarrão trazem a erva-mate de casa e usam a água quente fornecida por estes pontos. Em São Leopoldo, o pioneirismo está em fornecer todos os elementos para cevar as cuias e fazer um bom chimarrão em uma única estrutura, ou seja, uma máquina automática (vending machine), adquirida em regime de comodato, irá fornecer além da água, um pequeno pacote com a erva na quantia certa ao custo de apenas dois reais o sachê.
A novidade faz parte de uma parceria entre a Secretaria de Cultura e Turismo com a Ervateira Elacy, de Venâncio Aires, cidade conhecida como a capital do chimarrão. O secretário de Cultura e Turismo, Paulo Marcelo Schauer, destaca que a localização do chimarródromo é estratégica. “Queremos transformar a Casa de Turismo no primeiro chimarródromo do município e, da mesma forma, acreditamos que poderemos potencializar as visitações a este que é um dos mais charmosos atrativos da cidade, a Casa de Turismo do Marco Zero”, salientou.
De acordo com o gerente de marketing da Elacy, Danino Heinen, o modelo é um protótipo idealizado por ele. “É muito difícil encontrar erva-mate em espaços públicos, quando há, só existe embalagem de um quilo e isso não é prático para quem está na rua. Foi assim que surgiu a ideia de desenvolver o equipamento”, explica Heinen.
Como funciona
O funcionamento é semelhante ao de outras vending machines: o cliente insere moedas de R$ 0,10, R$ 0,25, R$ 0,50 ou R$ 1 e o equipamento libera um sachê de erva-mate e a água quente para encher as garrafas térmicas. A água é servida a 72ºC, considerada a temperatura ideal para um bom chimarrão.
No display há espaço para quatro tipos de erva: tradicional, moída grossa, premium e composta (misturada com chá). A capacidade da máquina é de 80 pacotes, num total de 16 quilos.
Oficina de chimarrão
A inauguração do chimarródromo ocorre no dia 18, às 10 horas, quando será realizada a primeira mateada na Casa de Turismo do Marco Zero da Rota Romântica. A Ervateira Elacy irá oferecer uma oficina de chimarrão. As pessoas que estiverem no local irão aprender técnicas para preparar a bebida mais tradicional do Estado.
Consumo
De acordo com dados do setor, o Rio Grande do Sul consome anualmente mais de 80 milhões de quilos de erva-mate, o que dá quase 10 quilos por habitante. Entretanto, uma curiosidade chama a atenção. Apenas 48% desse volume é produzido no Estado. Mais da metade da matéria-prima do chimarrão dos gaúchos vem de Santa Catarina e do Paraná.
Casa de Turismo do Marco Zero
A Casa de Turismo do Marco Zero é uma construção em estilo enxaimel, localizada na Avenida Dom João Becker, próximo a BR-116, na entrada de São Leopoldo. O local é um ponto de informações turísticas sobre a cidade e os municípios da Rota Romântica. Além do aconchego de sua estrutura interna, a área onde está situada a casa ainda possui estacionamento próprio e uma praça com brinquedos e é um bom lugar para as famílias matearem.
Fonte: Prefeitura SL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *