Seis assaltantes morrem em tiroteio com a polícia após ataque a bancos

FONTE: DIÁRIO GAÚCHO

Seis assaltantes que roubaram bancos em Ibiraiaras, no norte do Estado, nesta segunda-feira (3), foram mortos durante cerco policial entre o fim da tarde e o início da noite, segundo a Brigada Militar (BM). A informação foi confirmada pelo tenente-coronel Cláudio Feóli, comandante do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da BM. Os bandidos teriam sido mortos em meio a tiroteio com o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate).

— Continuamos avançando na mata, atrás de quem atirou contra nosso grupo. Dois ainda estão escondidos.

A ação foi registrada no interior do município. Seis tiroteios teriam ocorrido em um período de 45 minutos a uma hora, segundo Feóli.

— A região é muito remota. Nós cercamos a mata.

Ainda segundo o tenente-coronel, vários fuzis foram encontrados pela polícia após o confronto. Nenhum policial ficou ferido no embate com os criminosos.

Fazia apenas alguns meses que Rodrigo Mocelin da Silva, 37 anos, estava trabalhando no Banco do Brasil de Ibiraiaras, no norte do Estado. O gerente adjunto ainda não atuava no local quando a agência do município de pouco mais de 7 mil habitantes foi alvo de assaltantes pela primeira vez neste ano, em maio. Feito refém, Silva foi baleado na fuga. Eles abandonaram a vítima, que chegou a receber atendimento no Hospital São José, mas acabou morrendo.

Ainda não se sabe em que circunstâncias ele foi baleado. A delegada Alexandra Nunes Ferreira, titular da Delegacia de Polícia (DP) de Lagoa Vermelha, que auxilia no caso pretende conversar com os policiais que atenderam à ocorrência:

— Queremos entender de que forma ocorreu.

O gerente havia sido transferido para a cidade em setembro deste ano. De acordo com o Sindicato dos Bancários do Passo Fundo, Silva é natural de Tapera, também no Norte, e ingressou nos quadros do Banco do Brasil em setembro de 2005. Antes, trabalhava em uma agência de Marau. Ele era casado e deixa, além da mulher, dois filhos.

Confronto

O comandante do 10º Batalhão da Brigada Militar (BPM) de Vacaria, tenente-coronel Fabiano Paim, deu alguns detalhes, em entrevista ao programa Estúdio Gaúcha, de como foram os confrontos que acabaram com a morte dos seis criminosos. Segundo Paim, a ação da polícia ocorreu após os assaltantes investirem contra as forças de segurança. Cerca de sete ou oito embates entre agentes e o bando teriam ocorrido no interior da mata.

— Eles estavam em pontos separados. E quando houve a voz para entregarem as armas, baixarem, eles tentaram alvejar o pessoal que estava na mata. Nosso pessoal, inclusive, sequer tinha localizado um ou dois deles, e acabou conseguindo quando eles disparam em direção ao nosso efetivo.

A localização do bando ocorreu com o auxílio de uma aeronave da polícia que sobrevoava a região São Pio X na busca pela quadrilha.

Os ataques

A ação do bando contra os bancos — um do Banco do Brasil e outra do Banrisul — foi registrada por volta das 14h. O grupo criminoso, portando armas longas, obrigou clientes e funcionários a fazerem um cordão humano.

Um dos criminosos foi preso pela polícia antes dos confrontos que resultaram na morte de seus comparsas. O nome dele não foi divulgado pelas autoridades. Segundo a BM, ele era o motorista de um dos carros usados na fuga de parte do grupo. A polícia conseguiu recuperar valores roubados na ação.

O cerco na região na busca pelos dois criminosos segue na região. Na manhã de terça-feira, a polícia deverá realizar novas incursões na mata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *