Whindersson Nunes sobre tratamento contra a depressão: ‘Hoje eu me sinto bem para falar’

FONTE: G1.COM

Após três meses afastado dos palcos, ele se prepara para voltar, conta que está fazendo yoga e planeja lançamento de aplicativo para ajudar pessoas com depressão.

Foi fazendo graça de tudo e rindo de si mesmo que Whindesson Nunes virou um dos comediantes mais populares do Brasil. Nasceu na internet, foi pros palcos. Tem 23 milhões de seguidores no Instagram e 36 milhões de inscritos em seu canal no YouTube.

Mas, apesar do sucesso, teve que lidar com uma grande ausência, dentro dele. Sem entender o que era, fez um desabafo na internet. Disse que estava triste fazia alguns anos, que tinha medo de decepcionar os fãs e que já não sentia tanta vontade de viver. Cancelou toda a agenda de shows por três meses e foi diagnosticado com depressão.

VEJA A VERSÃO ESTENDIDA DA ENTREVISTA

Entrevista com Whindersson Nunes (versão estendida)

Ana Carolina Raimundi: Você está rico, é jovem, recém-casado, apaixonado, famoso, popular na internet… E com depressão. Você ouviu de muita gente ‘esse cara não pode ter depressão, como é que esse cara tem depressão?’

Whindersson Nunes: Assim… É justo o questionamento das pessoas. É justo. Poxa, tem tudo, tem dinheiro, tem a viagem dos sonhos, tem isso, tem aquilo. E eu que sou trabalhador, brasileiro, trabalho de 6 às 18h, tenho criança pra sustentar, tenho três filhos e isso e aquilo, eu que deveria ter. Tipo… Não é algo que me revolta, porque a pessoa fala isso. Na verdade, é um problema pra mim. Porque eu penso: ‘Poxa, realmente eu não devia ter passado por isso’.

Após o desabafo, Windersson procurou um psicólogo e um psiquiatra. Começou a fazer terapia, passou a tomar remédios, está fazendo yoga. E sentiu que precisava dar um novo sentido para a vida que estava levando: “Eu virei um cara que tenho as minhas coisinhas e tudo mais. Mas você chega naquele momento e fica: e aí? Dinheiro, dinheiro, dinheiro e ai? O que eu vou fazer? Eu posso pagar os melhores profissionais, mas tem gente que não pode”.

Pensando nisso, Whindersson está trabalhando em um aplicativo, que quer lançar em breve, para ajudar pessoas que têm problema de depressão como ele, mas não tem dinheiro. “A intenção do aplicativo é conectar gente que precisa de ajuda com gente que pode ajudar. Só que essas pessoas que querem ajudar são profissionais, voluntários”, explica.

Whindersson volta aos palcos no dia 18 de agosto, em São Paulo. “Hoje eu me sinto bem pra falar e, quem quiser perguntar, pode perguntar e eu vou falar. Eu me sinto feliz, eu me sinto uma pessoa feliz. Sinto que eu estou fazendo o que tinha pra fazer, que eu encontrei um sentido”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *