Com um total de 238 expositores, feira é considerada a maior da América Latina - Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

Sartori abre a 20ª Movelsul, na Serra, e reitera apoio ao setor produtivo

Considerada a maior feira de móveis e complementos da América Latina para o setor varejista, a Movelsul, em Bento Gonçalves, foi aberta nesta segunda-feira (14) com as presenças do governador José Ivo Sartori e do prefeito Guilherme Pasin. O evento ocorre de 14 a 18 de março, no Parque de Eventos do município da Serra.

Em seu pronunciamento aos empresários na cerimônia de abertura oficial, o governador analisou a situação política e econômica do país e reiterou que o Estado não deve atrapalhar quem produz, contextualizando o Rio Grande do Sul nesse cenário. “Vamos fazer o que precisa ser feito, com o tempo que levar, de acordo com que a sociedade quer e expressa, sempre com transparência”, afirmou Sartori.

Com um total de 238 expositores dos segmentos de móveis de escritório, cozinha, dormitórios, área de serviço, banho, jardim, copas, salas de jantar e estar, tapetes, estofados e colchões, a Movelsul comemora 20 edições bem sucedidas. Nos seus cinco dias de feira, o evento deverá receber mais de 30 mil visitantes, gerando US$ 300 milhões em negócios em um horizonte de 12 meses.

Negócios

Com 120 empresas brasileiras inscritas para rodadas de negócios, a feira terá a maior edição do Projeto Comprador de sua história. Foram convidados 30 lojistas e distribuidores estrangeiros de 14 países com potencial para a importação de móveis brasileiros. Esse projeto tem apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e é realizado desde a Movelsul 2000.

Nos últimos 10 anos, a Movelsul se internacionalizou e passou a ser gerida por um planejamento estratégico com horizonte de 20 anos. A feira formalizou, em 2012, a segmentação de seus expositores por tipologia de produto, seguindo o modelo adotado pelas principais feiras do setor no mundo.

A maior parte dos países convidados para as rodadas faz ou já fez negócios com o Brasil em algum momento. Entretanto, há mercados que não importam móveis brasileiros usualmente, como Bulgária e Marrocos – estratégia adotada para a diversificação de mercados e clientes. Em média, cada convidado importa US$ 1,2 milhão em móveis anualmente.

O presidente do Sindmóveis, Henrique Tecchio, pontua que a integração com o mercado internacional é essencial para a sustentabilidade dos negócios, além do aumento de competitividade e consequente desenvolvimento do setor. Segundo ele, o tamanho do mercado internacional e o potencial da indústria moveleira mais do que justificam o investimento nas exportações e negócios internacionais.

“Em relação à importação mundial de móveis, de um valor de aproximadamente US$ 160 bilhões, o Brasil detém menos de 0,5% desse mercado. Existe um grande potencial, e as exportações brasileiras ainda têm muito espaço para crescer”, avalia. O Banrisul é patrocinador do evento.

Fonte: RS.GOV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *