A cada dez locais atingidos, três voltaram a apresentar manchas de óleo após limpeza no Nordeste

FONTE: O SUL

Um terço dos mais de 280 locais atingidos pelo óleo no Nordeste chegou a ser limpo, mas viu a poluição retornar ao menos uma vez. Ao todo, 83 praias e outras localidades tiveram a reincidência da contaminação, o que representa 29,5% dos locais afetados pelo petróleo cru que começou a surgir no fim de agosto.

Os dados sobre a volta da poluição são parte de um levantamento feito pelo site G1 com base em todos os 23 relatórios divulgados pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) sobre a situação das praias desde o começo do desastre ambiental.

A análise mostra que, em alguns locais, houve até três “idas e vindas” do óleo. Além disso, aponta que todos os nove Estados atingidos apresentaram em algum momento o retorno da contaminação entre os dias 29 de setembro e 30 de outubro.

O primeiro avistamento do que se tornou o maior desastre ambiental na costa brasileira ocorreu em 30 de agosto na Paraíba. Desde então, a mancha foi limpa e voltou mais de uma vez em 16 praias do Nordeste. Em alguns casos, a sujeira chegou a aparecer quatro vezes nas praias, ou seja, três reincidências foram registradas. Ao todo, ocorreram 103 reincidências em 83 municípios diferentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *