A Justiça condena operadora de telefonia pelo assédio a uma cliente através do WhatsApp

FONTE: O SUL

A Justiça de Santa Catarina deu causa ganha para uma mulher que alegou ter sido assediada via WhatsApp por um funcionário da Oi. A operadora deverá pagar R$ 25 mil por danos morais causados à vítima. A empresa recorreu durante o processo, alegando que a mulher não teria comprovado que o suposto assediador era de fato seu funcionário. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

No entanto, o juiz Giuliano Ziembowicz, que analisa o caso, julgou que a responsabilidade de comprovar que o homem não era ligado ao quadro de funcionários da empresa não era da mulher. Ziembowicz argumentou que somente a operadora teria acesso aos registros internos de cadastro de empregados.

Consultado pelo jornal O Estado de S. Paulo, o advogado Arthur Rollo, vice-presidente da Comissão de Direito do Consumidor da OAB-SP, vai na mesma direção do magistrado.

Rollo afirma que “se houve algum abuso por parte de um representante da empresa, ela responde objetivamente por esse funcionário”.

O caso

Após efetuar a compra dos serviços de internet da operadora, a vítima relatou ter começado a receber “mensagens ofensivas” via WhatsApp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *