A mãe do jogador Taison foi resgatada após um sequestro relâmpago em Pelotas

FONTE: O SUL

A mãe do atacante Taison, que disputou o Mundial pela Seleção Brasileira, na Rússia, foi libertada na tarde desta
segunda-feira (16), após sofrer um sequestro relâmpago em sua casa, no bairro de Navegantes, em Pelotas (RS). A Brigada Militar deteve quatro suspeitos do crime.

No começo da tarde, Rosângela Freda estava em casa, quando sequestradores fingiram que iriam entregar um buquê de flores. Ao atender a porta, foi colocada no porta-malas de um veículo da marca Siena.

Decorrido pouco tempo do sequestro, a mãe do jogador brasileiro do Shakhtar Donetsk foi resgatada na estrada Alto da Cruz, região distrital de Pelotas, próxima à cidade de Canguçu.

A Brigada Militar, a Polícia Civil e forças de segurança da cidade participaram da ação. Os sequestradores não chegaram a fazer um pedido de resgate.

Taison estava fazendo uma visita ao Progresso, clube onde iniciou a carreira, com sede em Pelotas, na hora do sequestro. Após a mãe ser resgatada, ele se encontrou com Rosângela na delegacia, onde registraram o Boletim de Ocorrência. A polícia segue investigando na região da casa da família do jogador.

Retorno

Após o Mundial, o jogador ainda não se reapresentou na Europa para integrar o time ucraniano, mantendo-se em férias no Estado. O atacante brasileiro Taison é ligado ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

Taison foi lembrado por Tite em mais da metade de suas convocações e também entrou na lista final do recém-encerrado Mundial. O atacante, tido como um reserva em potencial para a faixa normalmente ocupada por Neymar, no lado esquerdo do ataque, enfrentou concorrência de Douglas Costa, que costuma atuar no mesmo setor.

Aos 30 anos, Taison é considerado um jogador da “velha guarda” do futebol ucraniano e uma das principais lideranças do Shakhtar, a ponto de usar a faixa de capitão em boa parte da temporada. Em meio à concorrência pelo lugar na seleção, uma alteração tática ocorrida no Shakhtar, e observada pelo jornalista Artur Valerko, trouxe a sensação de versatilidade – atributo valorizado por Tite – para Taison. Mas, depois que o passeio acabou, é hora de voltar para casa. Mas, qual casa?

O destino de Taison poderia mudar na próxima janela de transferências, ao menos no que dependesse da sua vontade. Taison gostaria de voltar para o Internacional.

Em entrevista recente, que repercutiu inclusive na imprensa internacional, Taison garantiu que não conseguiria recusar uma proposta formal do time colorado, mas fez ressalvas sobre a dificuldade que seria atualmente se desvincular do time europeu.

“Vou descansar e falar com o meu empresário sobre o meu futuro, porque está tudo em aberto. Os rumores são normais e nunca ia recusar o Internacional, é o clube do meu coração. Mas é difícil sair do Shakhtar”, declarou na época.

Mesmo com o desejo do jogador sendo grande, a diretoria do Inter considera que a questão financeira pesa contra as possibilidades de abrir uma negociação. Do lado dos ucranianos, ceder o jogador de 30 anos de idade tendo renovado o vínculo com o mesmo até 2020 parece pouco provável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *