A Petrobras registrou lucro líquido de 10 bilhões de reais no segundo trimestre deste ano, o melhor resultado desde 2011

A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 10,072 bilhões no segundo trimestre deste ano, de acordo com balanço divulgado nesta sexta-feira (03) pela estatal. O resultado representa uma alta de 45% na comparação com o primeiro trimestre de 2018, quando o lucro foi de R$ 6,961 bilhões, e é quase 32 vezes maior do que o observado no segundo trimestre do ano passado (R$ 316 milhões).

Trata-se do melhor resultado trimestral nominal desde o segundo trimestre de 2011 (R$ 10,942 bilhões), segundo dados da Economática. No primeiro semestre de 2018, a Petrobras registrou lucro de R$ 17,033 bilhões, uma alta de 257% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No consolidado de 2017, a Petrobras teve prejuízo líquido de R$ 446 milhões, acumulando quatro anos consecutivos de perdas.

No seu balanço, a estatal brasileira atribuiu o bom resultado aos seguintes fatores: aumento da cotação do barril de petróleo e desvalorização do real, que resultou em maiores margens nas exportações de petróleo e nas vendas de derivados no Brasil; crescimento de 6% nas vendas de combustíveis no mercado interno, com destaque para o diesel, que aumentou 15%; redução das despesas com juros devido à diminuição do endividamento; e menores despesas gerais e administrativas.

Trata-se do primeiro balanço da estatal sob o comando de Ivan Monteiro, que assumiu a presidência da Petrobras após a renúncia de Pedro Parente. Em sua primeira comunicação oficial aos empregados após assumir o cargo, o novo presidente da Petrobras disse que o alinhamento de preços com o mercado internacional é essencial para a estatal gerar riqueza e desenvolvimento.

Os resultados do segundo trimestre chegaram dois meses depois que a paralisação dos caminhoneiros contra a política de reajustes da estatal e a alta dos preços do diesel resultaram em subsídio nas vendas do combustível da petroleira e de outras companhias dos setor. O movimento reanimou preocupações sobre novas intervenções políticas e levou à renúncia de Parente.

No meio dos protestos, antes mesmo de o governo fderal anunciar o programa de subsídios, a Petrobras reduziu em 10% o preço do diesel, mantendo o valor nas refinarias por 15 dias, estimando uma perda de R$ 350 milhões em receita.

Produção menor

A produção total de petróleo e gás natural da Petrobras no primeiro semestre foi de 2.669 mil barris de óleo equivalente por dia, 4% menor do que a registrada no primeiro semestre de 2017, refletindo a venda de ativos como o dos campos de Lapa e Roncador.

Já a produção de derivados caiu 3% no semestre, enquanto a venda doméstica teve queda de 6%, “devido à redução nas vendas de nafta para a Braskem e à perda de participação de mercado da gasolina para o etanol”, informou a estatal.

Fonte: O Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *