A polícia e a Marinha prenderam um criminoso que matou um homem a facadas dentro de um barco no litoral gaúcho

FONTE: O SUL

Durante uma operação da Marinha do Brasil e da Polícia Civil na noite de terça-feira (29), agentes da delegacia de Imbé, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, embarcaram, em mar aberto, no barco pesqueiro Carlos Bruno, oriundo de Itajaí (SC), onde efetuaram a prisão em flagrante de um homem de 30 anos.

Segundo a polícia, o indivíduo matou um tripulante da embarcação, também de 30 anos, com golpes de faca. Conforme os delegados Antonio Carlos Ractz Jr. e Carlo Butarelli, apurou-se que, por volta do meio-dia de terça, após uma discussão, o agressor desferiu as facadas na vítima, com quem trabalhava há cerca de um ano.

A seguir, tentou arremessá-la no mar, sendo impedido pelos demais tripulantes. A diligência foi realizada com o apoio de uma embarcação da Transpetro.

Osório

Uma ação policial rápida e integrada entre a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Osório, e a Brigada Militar, resultou na prisão em flagrante de um homem pelos crimes de lesão corporal, ameaça e posse de arma de fogo, na tarde de terça-feira, no município do Litoral Norte.

Segundo o delegado João Henrique Gomes, a Brigada Militar foi acionada para atender uma situação envolvendo violência doméstica, tendo rapidamente atendido a demanda e se deparando no local com a vítima agredida fisicamente, situação em que o agressor foi preso em flagrante. Após levantamentos preliminares, policiais civis realizaram buscas pela residência, quando apreenderam uma arma de fogo municiada, em situação irregular.

“Estas ações rápidas e integradas fazem parte do programa de combate ao crime no município de Osório. Novas ações serão realizadas e denúncias podem ser feitas pelo canal (51) 999120456, por WhatsApp”, disse o delegado.

Câmeras

Desde junho, Capão da Canoa conta com o Gabinete de Gestão Integrada no Centro Administrativo. O espaço serve para articulação conjunta das estratégias de prevenção à violência e redução da criminalidade. Ao total, 180 câmeras espalhadas pelo município fazem o reconhecimento facial das pessoas e ajudam na localização de procurados pela polícia no Brasil e no exterior. Além disso, esses equipamentos fazem o reconhecimento de veículos roubados ou clonados.

“Os avanços da tecnologia e da forma como traçamos a meta sobre a segurança em Capão da Canoa tem dado um resultado muito positivo. As câmeras ajudam a polícia a reconhecer as pessoas e os locais de foco de venda das drogas. Elas vieram não apenas para inibir a questão do roubo, mas para combater o tráfico. Tinha o sonho de fazer alguma coisa que fizesse a diferença no Estado, fosse de maior segurança e passasse isso às pessoas, por isso, um investimento de R$ 2,5 milhões”, afirmou o prefeito Amauri Magnus Germano (PTB).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *