Em gravação, Sérgio Côrtes tenta combinar delação: ‘Vai falar sobre isso?’

FONTE G1
//

A decisão judicial que determina a prisão do ex-secretário de Saúde de Sérgio Cabral, Sérgio Côrtes, afirma que ele tentou “embaraçar as investigações”, fazendo com que o delator César Romero, ex-subsecretário da pasta, não celebrasse o acordo de colaboração premiada ou que combinassem o que seria dito. Uma conversa entre os dois, no escritório de Romero, foi gravada.
Foram presos nesta terça-feira também os empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita. A operação, que é mais um desdobramento da Lava Jato no Rio, foi batizada de “Fatura Exposta” e investiga fraudes em licitações para o fornecimento de próteses para o do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).
Quando era diretor do Into, Côrtes teria favorecido a empresa Oscar Iskin, da qual Miguel é sócio, nas licitações do órgão. Gustavo Estellita é sócio de Miguel em outras empresas e já foi gerente comercial da Oscar Iskin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *