Em nova assembleia, servidores municipais de Porto Alegre decidem manter greve.

FONTE G1//Em nova assembleia realizada nesta segunda-feira (30), servidores públicos de Porto Alegre ligados ao Sindicato dos Municipários (Simpa) decidiram manter a greve, que já dura 26 dias. A votação ocorreu na Casa do Gaúcho, à tarde. Pela manhã, o grupo fez um protesto em frente à sede da Secretaria Municipal da Administração (SMA).

Durante a deliberação, foi lida uma nova proposta do prefeito Nelson Marchezan Júnior aos grevistas, que foi rejeitada.

Há cinco meses, os servidores municipais, assim como os estaduais, vêm recebendo seus salários de forma parcelada. Nesta terça (31), serão creditados R$ 1,9 mil nas contas dos servidores. Com isso, 26% dos trabalhadores receberão em dia.

O restante será quitado até 14 de novembro, conforme o ingresso de receitas nos cofres municipais. De acordo com a prefeitura, todos os recursos que ingressarem nas contas do município serão destinados ao pagamento dos salários dos servidores.

O sindicato tem realizado diversos protestos desde o início da greve, no dia 5 deste mês. Os servidores municipais de Porto Alegre reivindicam a retirada de quatro propostas do Executivo que tramitam no Legislativo Municipal e que, segundo o Simpa, retiram direitos dos trabalhadores.

Entre elas, está a que altera vários artigos de leis, que estabelecem, entre outros, o Estatuto dos Funcionários Públicos e planos de carreira, a que extingue licença-prêmio, a que a regra sobre o tempo e forma do pagamento a servidores e pensionistas e o projeto de Emenda à Lei Orgânica, que permite conceder os serviços do Departamento Municipal de Água e Esgotos (DMAE) à iniciativa privada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *