Escola sofre dois arrombamentos em menos de uma semana em Porto Alegre.

FONTE G1//A comunidade escolar do colégio Wenceslau Escobar, no bairro Mário Quintana, em Porto Alegre, está apreensiva com os recentes arrombamentos registrados na instituição. Nos últimos dias, duas ocorrências foram registradas, segundo uma pessoa da equipe da escola, que prefere não se identificar. A escola atende a 900 alunos nos três turnos.

O primeiro arrombamento foi constatado na manhã do dia 14 de setembro. Ao chegar à escola, a equipe verificou que a grade do prédio em que funciona o jardim havia sido arrombada. Os criminosos roubaram um aparelho de DVD, um rádio e vandalizaram as dependências. “Rasgaram trabalhos dos alunos, botaram fogo em uma porta, bagunçaram o closet”, descreve a funcionária.

No dia 17, houve uma tentativa de invasão, frustrada pelo guarda que estava no local. Mas, no dia seguinte, não foi possível evitar: criminosos arrombaram uma janela do prédio onde está o laboratório de informática. De lá, roubaram dois computadores, além de outro aparelho de rádio. E também vandalizaram e destruíram o local.

“A sensação é horrível”, diz. Além do patrimônio roubado, os crimes causaram transtornos ao educandário. Segundo a funcionária, nas duas ocasiões, a perícia isolou o local para as investigações, o que obrigou a escola a remanejar os estudantes para outras salas. “Um dos alunos nos disse que queria emprestar o seu próprio computador para a escola”, relata.

Em uma postagem na página do Facebook da Wenceslau, a escola conclama a comunidade a ajudar neste momento. “Trabalhamos com vidas que são nosso bem mais precioso!”, diz a mensagem.

Tais situações não são novidade para a escola. Ainda em setembro, as aulas foram suspensas, na Wenceslau e também na escola Timbaúva, no mesmo bairro, conflagrado pela guerra do tráfico. Os tiroteios, frequentes na área, assustam as crianças, e uma delas chegou a escrever “mãe, socorro”, no quadro negro.

E no ano passado, em dezembro, um tiroteio interrompeu uma formatura, que era realizada no interior do educandário.

Dois boletins de ocorrência com os casos de arrombamento estão registrados na 18ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre. A polícia não passou informações a respeito da investigação ou de identificação dos suspeitos.

A Secretaria Municipal de Educação informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que está acompanhando a situação. Não há nenhuma ação em andamento para a Wenceslau Escobar, mas a assessoria confirmou que a diretoria pedagógica irá entrar em contato com o educandário para ver as melhores ações de acordo com as necessidades e o perfil da escola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *