Excesso de chuva prejudica plantio de arroz e preocupa produtores do RS.

FONTE G1//Além de causar estragos e prejuízos em quase de 50 municípios, a chuva que vem atingindo o Rio Grande do Sul nos últimos dias também é motivo de preocupação para os produtores gaúchos de arroz. Para as máquinas entrarem nas lavouras e começarem o plantio do grão, o solo deve estar seco, mas a chuva não está dando trégua.

“Se nós tivermos uma produtividade menor na nossa lavoura nós, consequentemente, teremos um custo maior por unidade produzida. E como nós estamos vivendo um momento de preços depreciados, há uma preocupação em relação a comercialização da próxima safra. Na medida que o produtor tem uma produção com um custo mais elevado, necessariamente isso vai trazer uma grande preocupação para o setor”, lamenta o produtor Fernando Rechsteiner.

De acordo com o Instituto Rio Grandense de Arroz (Irga), uma perda na produtividade do grão já pode ser esperada. No ano passado, nessa mesma época, cerca de 60 mil hectares de arroz já tinham sido plantados na Região Sul do estado. Neste ano, a área plantada não passa dos 8 mil hectares.

A cidade de Uruguaiana, na Fronteira Oeste, maior produtora de arroz do país, também sofre com a ação do mau tempo. Um levantamento informal do Irga aponta que 40% da área normalmente destinada para o plantio do grão não deve receber as semestes dentro do período recomendado.

“A gente espera que o clima colabore daqui pra frente com pelo menos uma área significativa até o dia 30. Mas mesmo assim a gente já tem consciência que não vai conseguir os patamares do ano passado”, estima o coordenador regional do Irga, André Matos.

Em 2016, o Rio Grande do Sul teve uma boa safra com 8 milhões e meio de toneladas colhidas. De acordo com previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), neste ano o estado deve colher 8 milhões e 400 mil toneladas de arroz, uma queda de 3,6% em comparação a última safra.

Mesmo com as previsões sendo negativas e o tempo não colaborando, as famílias que trabalham tradicionalmente com o cultivo do arroz acreditam que podem diminuir o prejuízo.

“Eu acredito que ainda temos tempo, temos uma boa logística de plantar tudo dentro da época ainda que seria em outubro. Creio que vai dar tudo certo”, pondera Fernando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *