Fumaça de incêndios na Amazônia atinge a região sul do Brasil

FONTE: GAUCHA ZH

O céu cinza e encoberto por uma névoa registrado nos últimos dias em alguns municípios catarinenses está associado aos focos de queimadas no norte do Brasil, afirmam especialistas. Como o vento está direcionado para o sul do país, essas partículas são transportadas para cá. Na terça-feira (10), moradores de Chapecó, oeste de Santa Catarina, notaram o fenômeno, que sequer foi percebido no Rio Grande do Sul.

Conforme a meteorologista Andressa Lorena, da Somar, imagens de satélite indicam uma espécie de corredor de fumaça proveniente do Norte canalizado até o Sul.

— Essa condição ocorre desde Rondônia, Pará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraguai. Toda essa fumaça está sendo carregada para Santa Catarina e Paraná — diz a meteorologista.

Esta névoa que agora está em Santa Catarina e no Paraná já havia passado, no início desta semana, pelo Rio Grande do Sul, mas sem ser notada.

Diogo Arsego, meteorologista do Grupo de Previsão de Tempo do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE), explica que o ar quente vindo da Amazônia  é direcionado para a região de atuação da frente fria. Como no começo da semana a frente fria estava atuando entre o Uruguai e o sul gaúcho, o vento em baixos níveis (aproximadamente 1,5 mil metros) estava direcionado para o Rio Grande do Sul.

— Esse escoamento do vento passa pelo Norte, pela Bolívia e Paraguai e transporta a fumaça proveniente dessas regiões para o Sul, incluindo o Rio Grande do Sul. Essa circulação do vento, geralmente, fica direcionada a região de influência da frente fria — diz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *