Governo do RS encaminha proposta para tentar encerrar greve dos professores estaduais.

FONTE G1//Representantes do governo do Rio Grande do Sul se reuniu na tarde desta sexta-feira (7) com diretores do CPERS/Sindicato, que representa os professores da rede pública estadual, na sede da entidade, em Porto Alegre. Após o encontro, o Piratini encaminhou uma proposta à categoria para tentar dar fim à greve na categoria, que já dura dois meses.

No documento, o Executivo reafirma a necessidade de cumprir o calendário escolar assim que as aulas forem retomadas, e reforçou que os 45 dias de férias aos quais os professores têm direito não precisam ser necessariamente entre janeiro e fevereiro.

O governo também reafirma que não haverá punição aos grevistas, e que vai retirar da pauta da Assembleia Legislativa o projeto que muda o prazo de pagamento da folha dos servidores. Além disso, o Executivo diz estar buscando soluções para acabar com o parcelamento dos salários e pagar em dia o 13º.

Uma assembleia geral na próxima sexta-feira (10) definirá se a greve prossegue ou será encerrada. A reunião será realizada a partir das 12h30 no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.

Segundo o Piratini, o documento tem pontos acertados durante o encontro, no qual os sindicalistas apresentaram uma contraproposta à oferta feita pelo Piratini na reunião realizada no dia 30 de abril. Na ocasião, o Executivo se propôs a pagar todos os professores em dia a partir da folha de dezembro, a ser paga no último dia útil do mês.

A medida, no entanto, tinha duas condições: obter o lucro esperado com a venda de ações do Banrisul e aderir ao plano de recuperação fiscal, que prevê o não pagamento da dívida com a União por três anos.

O governo também se comprometeu em não dispensar contratados temporários que tenham aderido à greve. E, por fim, a manutenção do artigo 35 da Constituição Estadual, que estabelece a obrigatoriedade do pagamento em dia dos salários. Uma proposta de emenda constitucional tramitava para cancelar esse artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *