Grupo de CTG investe R$ 150 mil para dançar no Enart

FONTE: O SUL

O leigo que assiste ao espetáculo do Enart não faz ideia do que acontece nos doze meses anteriores à apresentação no tablado de Santa Cruz do Sul. É muito planejamento, busca por recursos e uma economia que gera empregos e renda, o que é extremamente positivo.

Quinto colocado na final do fim de semana passado, o CTG Lalau Miranda, de Passo Fundo, calcula que tenha gasto R$ 150 mil na preparação. “A preparação para festival do ano seguinte já começa quando termina a atual edição”, explica o patrão Odalino Bonamigo.

Isso inclui contratação de coreógrafo, instrutor, músicos, corretor (sim, existe um profissional especializado só em corrigir erros), alegorias, pilchas e a estrutura de mais de cem pessoas que acampou no parque da Oktoberfest.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *