Grupo de detentos acampa em pátio da Cadeia Pública de Porto Alegre.

FONTE G1//Há cerca de um mês, um grupo de detentos da Cadeia Pública de Porto Alegre – nome atual do antigo Presídio Central – está acampado no pátio de um dos pavilhões da penitenciária, segundo informou nesta quarta-feira (15), por meio de nota, a direção da instituição. Todos integram um grupo criminoso, e alegam “incompatibilidade carcerária” com outros presos.

A nota aponta que, no dia 15 de outubro deste ano, havia 166 detentos acampados no pátio. Eles pediram para ser transferidos para outra galeria, o que não foi atendido devido à superlotação do presídio – com capacidade para 1.905 presos, o prédio abriga 4.824 apenados.

“Devido à alta densidade carcerária, não há como atender a demanda dos apenados, sendo estes alocados no pátio de um Pavilhão”, diz a nota.

Ainda de acordo com a direção, foram oferecidas vagas em outras penitenciárias, mas os presidiários pediram para permanecer juntos. Nesta quarta, ainda havia 99 presos acampados no pátio. A nota diz que a administração do presídio, em conjunto com a Vara de Execuções Criminais e a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), busca uma solução para o impasse.

Ainda de acordo com a Cadeia Pública, os presos acampados contam com “todos os serviços e assistências aos quais têm direito”. Eles recebem sacolas com alimentos entregues por visitantes e têm um local para visitas. O pátio tem uma área coberta, água encanada, banheiros e tanques.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *