O proprietário de uma peixaria clandestina foi preso no litoral do Rio Grande do Sul

FONTE: O SUL

Agentes da Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar vistoriaram três estabelecimentos comerciais em Xangri-lá, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, na quinta-feira (13). Cerca de duas toneladas de alimentos impróprios para o consumo foram apreendidas e inutilizadas na operação.

Durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão, foi realizada a prisão em flagrante do proprietário de uma peixaria clandestina por violação das relações de consumo. No local, foram apreendidos 450 quilos de produtos sem origem comprovada.

Foram fiscalizados também o Mercado Praiano e o Supermercado Chaves. Os dois acabaram autuados por irregularidades como a comercialização de produtos fora do prazo de validade, conservados em temperatura inadequada e sem procedência.

Participaram da operação o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Segurança Alimentar, Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, a promotora de Justiça de Capão da Canoa Luziharin Carolina Tramontina, representantes da Vigilância Sanitária Estadual, da Vigilância Sanitária de Xangri-lá, da Secretaria Estadual da Agricultura, do Procon Estadual, da Delegacia do Consumidor e da Brigada Militar.

Torres

Agentes da Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar vistoriaram, na quarta-feira (12), quatro estabelecimentos comerciais em Torres, no Litoral Norte. Cerca de 700 quilos de alimentos impróprios para o consumo foram recolhidos e inutilizados durante a ação.

Foi cumprido mandado de busca e apreensão em uma peixaria clandestina que funcionava em uma residência. A proprietária foi presa em flagrante por crime contra as relações de consumo. No local, foram localizados cerca de 350 quilos de pescado sem procedência.

O Mercado Colonial, também fiscalizado, foi totalmente interditado por problemas de higiene e grande quantidade de fezes de roedores. Embalagens roídas foram identificadas. Também foram inspecionados a Padaria do Laurinho, que teve o depósito interditado por questões de higiene, e o Mercado e Açougue LR, que foi autuado por vender alimentos vencidos e carnes fora da temperatura adequada, além de aipim congelado sem procedência.

Quintão e Terra de Areia

Na terça-feira (11), a Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar realizou uma inspeção em quatro estabelecimentos comerciais nas praias de Quintão e Terra de Areia.

Na primeira localidade, o Supermercado Asun foi autuado por comercializar produtos vencidos e com fracionamento irregular. Houve também a interdição total do Mercado Bom Preço, em razão de graves problemas de higiene, carnes fora de temperatura, produtos mal acondicionados e vencidos. Ao todo, foram apreendidos 750 quilos de alimentos impróprios para o consumo.

Em Terra de Areia, no Supermercado Ofertão, os principais problemas identificados foram: produtos fora da temperatura recomendada pelo fabricante, avariados, vencidos, alguns com a presença de insetos e outros expostos sem identificação. No local, os fiscais identificaram 156 panetones armazenados no interior de uma peça que vinha sendo usada como banheiro pelos funcionários. A padaria e a confeitaria foram interditadas por falta de higiene. Os fiscais comprovaram que os comerciantes estavam reutilizando embalagens descartáveis de tortas e salgados. No total, 90 quilos de produtos foram apreendidos.

No Don Juan Hotel e Restaurante, também em Terra de Areia, foram detectados problemas de manuseio de alimentos na cozinha, produtos sem procedência e vencidos. Foram inutilizados 36 quilos de carnes – destes, 23 quilos sem procedência e o restante por estar fora da temperatura recomendada –, 36 quilos de aipim congelado sem procedência, dez pacotes de massa de pré-pizza vencidos, além de alguns chás, refrigerantes e erva-mate.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *