O valor da aposentadoria será maior para quem pedir para se aposentar até novembro

FONTE: O SUL

A reforma da Previdência acabará com o uso do fator previdenciário. O índice, no entanto, continuará a valer para segurados do INSS com direito adquirido ao atual sistema de cálculo e em uma das regras de transição. Para esses trabalhadores, a atualização anual do índice – prevista para 1º de dezembro – causará impacto negativo na renda.

Para os trabalhadores que se aposentarem por tempo de contribuição pelo período mínimo de recolhimentos – 30 anos para as mulheres e 35 anos para os homens –, o novo fator deverá reduzir a renda mensal em 0,54% na comparação com benefícios concedidos pelo índice atual.

Os cálculos são do consultor atuarial Newton Conde. “Os cálculos não são oficiais, mas foram realizados sobre os mesmos parâmetros utilizados nos últimos anos”, explica Conde.

A estimativa revela que, para o trabalhador que reúne condições para se aposentar até 30 de novembro e não tem intenção de adiar a aposentadoria, é vantajoso requisitar o benefício antes de 1º de dezembro.

O fator previdenciário também poderá ser aplicado após a reforma da Previdência em duas situações: nos casos em que o direito foi adquirido antes da promulgação da nova legislação e para quem se aposentar pela regra de transição válida para trabalhadores que estão a até dois anos de completar os requisitos atuais do benefício por tempo de contribuição.

Nessa regra de transição, o trabalhador precisará aumentar o seu número de recolhimentos em 50% em relação ao tempo restante para a aposentadoria na data da aprovação da reforma.

Escapam do redutor na aposentadoria os trabalhadores cuja soma da idade ao tempo de contribuição resultar em 86 (mulheres) ou em 96 (homens). Porém, a regra de cálculo 86/96 só será mantida após a reforma se o direito for adquirido antes das mudanças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *