O WhatsApp terá uma função para enviar fotos e vídeos que se autodestroem em segundos

FONTE: O SUL

O WhatsApp está desenvolvendo um recurso para o envio de fotos e vídeos com prazo de expiração no aplicativo. A função, que é velha conhecida dos usuários do Snapchat, e também já está presente no Telegram há bastante tempo, promete ajudar na hora de mandar um conteúdo mais sensível ou sigiloso para contatos do mensageiro.

A descoberta foi divulgada pelo WABetaInfo nesta sermana. De acordo com o site, o recurso, chamado de “Expiring Media”, permitirá o envio de fotos, vídeos e GIFs com um prazo de vencimento definido pelo remetente. Depois desse tempo, a mídia desaparecerá de ambas as conversas.

Também será possível configurar para que o conteúdo seja excluído imediatamente após a visualização do destinatário.

Até o momento, a função parece não deixar rastros – isto é, após o desaparecimento da imagem, não fica nenhuma mensagem como “mídia expirada”, diferentemente das mensagens apagadas no app.

Ainda não há informações sobre um possível alerta de captura de tela para vídeos e fotos autodestrutivos, mas pode ser que o mensageiro desenvolva algum tipo de notificação para este fim no futuro.

Mensagens autodestrutivas

Vale lembrar que o WhatsApp já trabalha em mensagens de texto que se autodestroem desde o ano passado. O recurso estava em testes para grupos, mas é possível que também chegue (algum dia) a conversas privadas do aplicativo.

No entanto, não há nenhuma previsão sobre quando essas funções serão lançadas, de fato.

Limpeza de arquivos

A FS Security está anunciando a liberação gratuita do LimpaZap by Hero, aplicativo voltado para a limpeza de smartphones e otimização de espaço em aparelhos com uso frequente do WhatsApp. A solução detecta e exclui arquivos temporários de imagem, vídeo e áudios recebidos, assim como outros dados ocultos, que permanecem salvos na memória do dispositivo durante o uso do mensageiro e, com o tempo, acabam ocupando uma parcela preciosa do armazenamento.

A ideia do WhatsApp com esse tipo de funcionalidade é nobre. Ao salvar as informações na memória, elas podem ser acessadas instantaneamente numa conversa, algo essencial para quem utiliza o mensageiro para o trabalho e recebe documentos, orientações ou atende clientes por meio do aplicativo. Entretanto, com o tempo, tais arquivos permanecem lá, e mesmo que não estejam mais sendo usados, acabam preenchendo o espaço na memória e gerando problemas de desempenho.

Foi justamente pensando no uso profissional do WhatsApp que a FS Security disse ter liberado a aplicação. De acordo com a empresa especializada em segurança, a utilização do WhatsApp como ferramenta de trabalho cresceu durante a pandemia, assim como o compartilhamento de imagens, vídeos e áudios, um movimento que se torna uma pedra no sapato, principalmente, dos usuários de smartphones mais modestos, que precisam de uma solução de limpeza para lidar com esse fluxo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *