Operação Amputate contabiliza quatro presos de assaltos a Bancos

A 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos, do Departamento Estadual de Investigações Criminais do Rio Grande do Sul (1ªDR/DEIC), finalizou a segunda etapa da OPERAÇÃO AMPUTATE, na manhã do dia 22/05, visando desarticular uma organização criminosa interestadual, responsável por ataques a instituições bancárias, no ano de 2015 e 2016.

A ação ocorreu simultaneamente nos Estados de Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Lá os policiais cumpriram mandado de busca na cidade de Joinville. Aqui, os policiais desenvolveram ações nas cidades de Taquara e Sapiranga.

No sábado os policiais civis já tinham efetivado a prisão de uma mulher, natural de Joinville, com  22 anos. A referida pessoa foi presa logo após deixar as instalações da Penitenciária do Alto Jacuí, quando do término da visita de um apenado.  Sua participação na organização era fundamental, provia segurança aos demais criminosos através do emprego de arma de fogo.

Nesse mesmo dia, sábado (21/05), os agentes policiais desta especializada deram cumprimento a seis mandados de busca e apreensão e mais  três mandados de prisão preventiva.  Foram presos  três homens, de 33 anos, natural de Campo Bom (com antecedentes por estelionato, extorsão), um de 32 anos, natural de Sapiranga (antecedentes por lesão corporal, receptação dolosa, homicídio, roubo circunstanciado e associação criminosa armada) e outro, de 33 anos, natural de Joinville (com antecedentes por furto qualificado). Inclusive, este último era companheiro da pessoa que foi presa na último sábado.

Segundo os Delegados Joel Henrique Wagner e João Paulo de Abreu, a OPERAÇÃO AMPUTATE se deve a um fato curioso, qual seja: um dos criminosos presos, quando dos atos executórios (subtração de um cofre da agência bancária), acabou por perder parte dos dedos de sua mão direita, abandonando-os na cena do crime. Os policiais conseguiram descobrir, durante a investigação, inclusive no Hospital aonde o criminoso buscou socorro, dizendo à época que tinha se machucado ao trocar o pneu de seu carro. Ainda, destacam que dois dos criminosos, o casal, foram presos em flagrante em 16/01/16, na cidade de Parobé, ocasião em que os policiais militares também foram presos, pela própria Brigada Militar, por envolvimento com a referida organização.

As cautelares cumpridas nesta data, especificamente, relacionam-se à investigação criminal desenvolvida pela Polícia Civil sobre um fato que aconteceu na cidade de Parobé, em 22/11/15. Todos os presos ainda são investigados por outras práticas criminosos e são parte de uma verdadeira organização criminosa, que possui ramificações em solo gaúcho, mas também no Estado de Santa Catarina.

O Diretor de Investigações do DEIC, Del. Sander Cajal, ressalta que a OPERAÇÃO AMPUTATE só foi possível graças a preservação do local do crime e a investigação preliminar feita pela Polícia Civil. Afora isso, com o trabalho pericial feito pelos papiloscopistas do IGP, que propiciou a identificação de um dos autores. Os presos serão encaminhados ao sistema prisional, ficando à disposição da Justiça.

 

Disque-denúncia: 0800-510 2828

WhatsApp e Telegram: (51) 8418-7814

www.pc.rs.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *