Operação transfere 20 presos de presídio de Porto Alegre.

FONTE G1//Vinte presos foram transferidos da Cadeia Pública de Porto Alegre, novo nome do Presídio Central, para duas penitenciárias no interior do Rio Grande do Sul. Outros 140 foram remanejados internamente.
Conforme o secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, 10 presos foram levados para a Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e outros 10 para a Presídio de Arroio dos Ratos, ambas as cidades na Região Metropolitana de Porto Alegre.
Eles faziam parte de uma facção coordenada por João Carlos Silva Trindade, morto no dia 23 de agosto. Os presos, segundo o secretário, alegaram que foram expulsos das galerias e estavam no pátio da Cadeia Pública.
“Precisamos mudar a realidade do sistema prisional. Para tanto, estamos trabalhando no sentido de desarticular as fracções”, disse Schirmer.
Ao todo, 490 servidores participaram da transferência. Do total, 340 são da Brigada Militar e outros 150 da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe).
A transferência integra a 2ª fase da Operação Pulso Firme, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública. A primeira etapa ocorreu em 28 de julho, quando 27 presos foram removidos para três presídios federais em Rondônia, Rio Grande do Norte e Mato Grosso do Sul.
Entre os presos transferidos na época está José Carlos dos Santos, o Seco, um dos principais assaltantes de bancos e carros-fortes no Rio Grande do Sul. Ele estava em na penitenciária de Charqueadas desde 2006 e foi condenado a 205 anos de prisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *