Para afagar prefeitos, Temer entrega nesta segunda ambulâncias no RS

Em tentativa de afagar prefeitos em meio à crise econômica e de construir uma agenda positiva para melhorar a própria imagem, o presidente Michel Temer viaja nesta segunda-feira (9) ao município de Esteio, no Rio Grande do Sul, para entregar 61 ambulâncias ao estado.Temer também vai fazer uma sobrevoo em áreas atingidas pelas enchentes no estado, e depois deve se reunir com prefeitos das cidades que sofreram estragos, de acordo com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.
As ambulâncias serão distribuídas para 61 municípios gaúchos e fazem parte de um total de 340 ambulâncias a serem entregues a diversas cidades do país. As novas unidades ajudarão na renovação da frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), informou o Ministério da Saúde. Questionada pelo G1, a pasta não divulgou o valor investido nos veículos.
Os ministros Ricardo Barros (Saúde), Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário) e Eliseu Padilha (Casa Civil) acompanharão o presidente na solenidade. São esperadas ainda as presenças de aliados do governo Temer no Rio Grande do Sul, como o próprio governador do estado, Ivo Sartori, o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Junior (PSDB), e o deputado federal Darcísio Perondi (PMDB).
Apesar da predominância de nomes peemedebistas e tucanos ao lado do presidente, prefeitos de todo o estado e dos mais variados partidos também participarão do evento.
Por meio da entrega de ambulâncias completas, prontas para uso, a solenidade servirá principalmente para acalmar os ânimos dos aliados municipais diante da crise econômica e aparar arestas após a disputa por parte do dinheiro arrecadado com a multa do programa de repatriação. Antes resistente à ideia de dividir os recursos derivados da multa com os municípios, além dos estados, o governo federal realizou o pagamento no dia 30 de dezembro.
A cerimônia foi pensada ainda para promover Eliseu Padilha e Osmar Terra, ambos do Rio Grande do Sul e considerados dois dos principais ministros de Temer.
O primeiro é amigo pessoal do presidente há décadas e concentra grande parte do trabalho da articulação política desde a saída do ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima. Já o segundo é responsável por uma das maiores vitrines do governo, o programa Criança Feliz, cuja embaixadora é a primeira-dama Marcela Temer.
A iniciativa da entrega das ambulâncias também faz parte da construção de uma agenda positiva por parte do Palácio do Planalto. Com a popularidade em baixa, a avaliação é de que Temer precisa sair mais de Brasília e estar mais presente na divulgação de ações do governo. A ideia, inclusive, é de que Temer participe de um evento por semana fora do Planalto.
A tentativa de se aproximar da população não está restrita ao Sul. Em cerimônia em Maceió (AL) ao final de dezembro na qual anunciou o repasse de verbas para combater a seca, o presidente paulista de Tietê declarou que sonha em ser reconhecido, ao concluir seu mandato, como o “maior presidente nordestino que passou pelo Brasil”. O peemedebista é o filho caçula de um casal que imigrou do Líbano para São Paulo na década de 1920.
Oficialmente, porém, o governo nega que procura minimizar a crise gerada pela economia cambaleante e agradar prefeitos, em especial da base aliada.
“Não tem discriminação [de políticos nem de partidos]. Convidamos todos os deputados do estado, inclusive do PT”, afirmou o ministro Osmar Terra ao G1.
Já Ricardo Barros disse que a cerimônia faz parte de uma “programação de rotina, um calendário de ações a serem executadas”. “Publicamos muitas coisas no Diário Oficial no ano passado e agora estamos fazendo uma ação de divulgação”, argumentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *