Polícia Civil deflagra Operação de combate ao roubo de caminhões no Estado

A Polícia Civil, através da 2ª Delegacia Regional Metropolitana de Canoas (DRM), deflagrou, na manhã desta quarta-feira (30/03), a operação Truck, que visa desarticular uma organização criminosa que furtava e roubava caminhões na capital e região metropolitana de Porto Alegre. Foram cumpridos 23 mandados de busca e apreensão e 20 mandados de prisão em sete cidades do Rio Grande do Sul e uma em Santa Catarina. Na ação, 14 pessoas foram presas.

Segundo o delegado Juliano Ferreira, dois homens, que eram considerados os líderes da organização, foram presos. Os veículos eram roubados, na sua maioria, na zona norte da capital e levados para a serra gaúcha, litoral norte do estado e Santa Catarina. “Identificamos toda a cadeia criminosa e detectamos todo o caminho que os caminhões faziam. O grupo roubava de 20 a 30 veículos por mês e estima-se que movimentava cerca de 100 mil reais por mês”, conta o delegado.

Em buscas na oficina, de propriedade de um dos líderes da quadrilha, foram encontradas peças de caminhões roubados, além de um caminhão clonado e etiquetas de clonagem, já com a numeração impressa. “Um dos líderes da quadrilha já havia sido preso anteriormente por extorsão contra vítimas de roubo. Ele oferecia os caminhões aos donos por cerca de 10 mil reais”, conta o delgado Juliano

O Secretário de Segurança, Wantuir Jacini e Chefe de Polícia, Del. Emerson Wendt, estiveram na operação e enfatizaram o trabalho de investigação qualificado realizado pelos policiais. “A policia civil já realizou quatro operações nos últimos dois dias. Isso é uma demonstração de como a Policia Civil proteje a sociedade desarticulando grupos criminosos”, destaca o secretário. O Chefe de Polícia destacou o uso de dados de inteligência nesta investigação, que foram colhidos desde maio de 2015 obtendo informações e provas substanciais que qualificam a investigação. Também acompanharam a operação o Diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, del. Edilson Paim e o Diretor da Delegacia Regional da capital, del. Ferreira. Os presos, após os procedimentos legais, foram encaminhados ao sistema penitenciário.

 

Como eram realizados os roubos e clonagem
O grupo recebia a encomenda dos compradores, que na maioria eram da serra gaúcha e sul de Santa Catarina, e procurava o modelo solicitado. A buscas eram feitas na zona norte da capital, região de maior aglomeração de caminhões. Depois do furto ou roubo eles eram levados para serem clonados em uma oficina da Cidade de Canoas e, posteriormente, entregues aos compradores. O destino era, na maioria das vezes, serra gaúcha e Santa Catarina.

 

Fonte: Policia Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *