Polícia prende quatro pessoas de quadrilha de tráfico e roubos em Guaíba

FONTE: O SUL

A Polícia Civil desarticulou, nesta quinta-feira (26), uma quadrilha que comandava o tráfico de drogas no município de Guaíba, na Região Metropolitana. Denominada Libertá, a operação teve oito mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva no bairro Vila Nova. Quatro pessoas foram presas hoje. Entre elas, está o gerente da organização criminosa.

A investigação iniciou há cerca de dois meses, quando os policiais descobriram a ligação de uma quadrilha com uma sequência de crimes cometidos contra uma mesma pessoa. Na ocasião, uma adolescente de 16 anos acabou sendo vítima de vários roubos em Guaíba.

“Essa menina não estava apenas sendo vítima de roubos excessivos, ela estava sendo vítima de coação no curso do processo. Ela foi perseguida por familiares que já tinham atentado contra a vida dela em janeiro de 2018. Ela sofreu tentativa de homicídio por por questão de tráfico. Ela não é relacionada ao tráfico, mas foi confundida e chegou a negar a autoria dos crimes por medo de represálias, por medo de perder a vida”, disse a delegada Karoline Calegari. Ela acrescentou também que os agressores da adolescente acabaram presos por outros crimes.

Os crimes investigados começaram ainda em 2017, quando essa facção teria assumido o comando do tráfico de drogas no município. De lá pra cá, o grupo passou a torturar e executar os rivais. A Polícia Civil acredita que os corpos estariam enterrados em uma espécie de cemitério clandestino.

“O cemitério está sendo procurado. Os cães farejadores do Corpo de Bombeiros com as informações da Polícia Civil, estão procurando o local, mas ainda não foi confirmado”, disse o tenente-coronel da Brigada Militar, Eduardo Michel. “Estamos buscando vestígios de corpos e ossadas. Por enquanto foi encontrado um carrinho de mão que a gente não sabe se tem relação com o caso, apenas a perícia vai conseguir confirmar”, acrescentou a delegada Calegari.

Um helicóptero da Divisão de Apoio Aéreo da Polícia Civil sobrevoou a área na manhã desta quinta em busca de vestígios também. O diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana, delegado Mario Souza, considerou “fundamental atuar contra o crime organizado, inclusive homicídios e o narcotráfico, em uma mesma ação, aumentando a efetividade”. Segundo ele, a operação Libertá inclui “ações cirúrgicas na busca de desarticular parte da facção que atua no município de Guaíba”.

A ação teve apoio do 31º BPM. O efetivo do 8º Batalhão de Bombeiros Militar e Companhia Especial de Busca e Salvamento, de Porto Alegre, com cão farejador, também participaram da varredura nos matagais de um local conhecido como Complexo Esportivo Coelhão.

Cães farejadores auxiliam na busca do possível cemitério clandestino (Foto: Reprodução/ Polícia Civil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *