Porto Alegre, RS - 23/03/2020: Decreto proíbe estabelecimentos comerciais de praticar sobrepreço de álcool gel. Foto: Anselmo Cunha/PMPA

Prefeitura de Porto Alegre orienta sobre prevenção a surtos de Covid-19 em ambientes de trabalho

FONTE: O SUL

A prefeitura de Porto Alegre ressaltou que tem acompanhado, desde o início da pandemia do novo coronavírus, todas as suspeitas de ocorrência de surtos de Covid-19 em ambientes de trabalho na Capital.

Além de monitorar casos confirmados da doença nesses locais, técnicos da Secretaria Municipal de Saúde têm orientado responsáveis dos estabelecimentos sobre medidas de controle e prevenção à disseminação do vírus e da doença entre trabalhadores e usuários dos serviços, tanto da área da saúde quanto de outros setores da economia.

Para contribuir com a disseminação de informações adequadas de prevenção e cuidados para evitar o contato com o vírus, a secretaria emitiu uma recomendação sobre prevenção a surtos em ambientes laborais e áreas de convívio de trabalhadores e usuários dos serviços.

“A recomendação pretende esclarecer as medidas específicas necessárias para a proteção dos trabalhadores, considerando a transmissibilidade da doença e sua relação com o ambiente de trabalho e as áreas de convívio”, explicou a diretora-geral de Atenção Primária à Saúde, Diane Nascimento. Ela enfatizou que as orientações podem sofrer mudanças de acordo com a evolução da pandemia na cidade.

O documento, disponível neste link, está dividido em sete itens. São eles: procedimentos para identificação precoce de casos suspeitos; medidas gerais; higienização ambiental; orientação para refeitórios/salas de lanches; orientação para sanitários/vestiários; transporte de trabalhadores fornecido pela empresa (ônibus, automóveis próprios ou locados); e medidas a serem adotadas diante de casos positivos entre trabalhadores que exercem atividades de forma presencial.

“É importante destacar que são orientações mínimas que devem ser seguidas por todos os estabelecimentos. As empresas podem determinar ações de prevenção e controle mais rigorosas do que as definidas por este documento, baseando-se em uma avaliação de riscos e de acordo com os recursos disponíveis da mesma”, lembrou o diretor da Vigilância em Saúde Municipal, Anderson Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *