Rio Grande do Sul é um dos Estados com mais demissões do que contratações em agosto

FONTE: O SUL

O Rio Grande do Sul perdeu 1.988 postos de trabalho com carteira assinada no mês de agosto, sendo um dos dois Estados com mais demissões do que contratações, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. A Indústria de Transformação possui o pior resultado, com perda de 4.523 postos de trabalho no mercado formal. Além disso, foram contratadas 19.916 pessoas e demitidas 24.439. Em números, o setor de serviços foi o que mais contratou (2.766), seguido do comércio (182) e do setor de serviços industriais de utilidade pública (71). Os demais setores demitiram mais do que contrataram. O recorde em demissões foi a indústria de transformação (-4.523), juntamente com a construção civil (-322) e do setor agropecuário (-141).

Dos 71 municípios gaúchos pesquisados, os piores saldos de trabalho com carteira assinada em agosto, em relação ao estoque de empregos do mês anterior, foram de Venâncio Aires (-8,81%), Santa Cruz do Sul (-5,05%) e Vacaria (-2,28%). Já os melhores foram Soledade (2,99%), Rio Pardo (1,26%) e Taquara (1,03%). Em Porto Alegre, foram criados em agosto 766 postos de trabalho formal, um aumento de 0,14%. No entanto, em relação ao acumulado do ano janeiro a agosto de 2019 e nos últimos 12 meses, setembro de 2018 a agosto de 2019, os saldos foram positivos no Estado. Em 2019, foram criados 16.095 empregos, e em um ano, 15.046.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *