São Leopoldo já vacinou 28.785 pessoas

Para atingir a meta, porém, ainda falta imunizar 33% do total

 

O Centro de Vigilância em Saúde liberou nesta segunda-feira (2) os números atualizados da Campanha de Vacinação contra o vírus H1N1. Desde o dia 25, quando as imunizações começaram, o Município já vacinou 28.785 pessoas, sendo que 8.785 foram só durante o sábado (30) quando ocorreu a mobilização do Dia D. Para a diretora da Vigilância, Marivone Perini, o resultado é positivo. “Normalmente o Governo Estadual tem que prorrogar a data de vacinação, mas se continuar neste ritmo acredito que não precisaremos passar do dia 20 de Maio, quando está programado o fim da campanha. Por isso, calculo que São Leopoldo está indo bem.”

 

Apesar da grande movimentação nos postos de saúde, o Município ainda não atingiu a meta de vacinar 80% dos 41.975 cidadãos que fazem parte dos grupos prioritários. Até às 17h de sábado, quando foi finalizado o Dia D, São Leopoldo já havia imunizado 46,99%, ou seja, 19.728 (46,99%) pessoas que entram nos grupos de crianças de seis meses a menores de 5 anos, trabalhadores da saúde, gestantes, índios, idosos e mulheres com até 45 dias após o parto. São prioritários, mas não entram na corrida pela meta os doentes crônicos, pois segundo o Ministério da Saúde, a quantidade de pessoas que fazem parte desse grupo pode mudar a qualquer momento.

 

“Tenho certeza que vamos atingir a meta de 80% até o fim da campanha. Ao contrário dos últimos anos, que o governo estadual prorrogava a data de término, esta extensão de prazo não deve acontecer este ano. E isso é muito bom, porque poderemos abrir a imunização para os que não fazem parte dos grupos prioritários”, ressaltou a secretária de Saúde, Miriam Bavoso.

 

Por causa do bom índice, a vacinação ocorreu normalmente durante esta segunda-feira (2), ainda focada nos grupos prioritários, sem previsão para quando será estendida para o restante dos munícipes. “Qual a administração municipal que não gostaria de ver toda a população imunizada. No entanto, se passarmos por cima das regras estipuladas pelos governos federal e estadual será suspenso o repasse de doses. Em uma campanha nacional, eles são as autoridades máximas e que conduzem todo o processo”, afirma Miriam, observando ainda que nem mesmo a compra de doses é possível, pois também infringiria as determinações.

 

Veja como foi a vacinação até agora*:

 

Crianças de 6 meses a menores 5 anos

Total a vacinar: 13.205

Vacinados: 5.737 (43,45%)

Trabalhadores saúde:

Total a vacinar: 3499

Vacinados: 2.104 (60,13%)

Gestantes:

Total a vacinar: 2.297

Vacinados: 732 (31,87%)

Mulheres com até 45 dias após o parto:

Total a vacinar: 378

Vacinados: 139 (36,77%)

 Índios:

Total a vacinar: 150

Vacinados: 134 (89,33%)

Idosos:

Total a vacinar: 22.446

Vacinados: 10.882 (48.48%)

Doentes Crônicos:

Total a vacinar: 20.792

Vacinados: 8.923

Privados de Liberdade:

Vacinados: 110

Funcionários de Instituição Penal:

Vacinados: 24

Total a vacinar: 41.975

Total de Vacinados: 28.785

*Dados de 25/4 a 30/4

 

Documentos para se vacinar

Idosos com mais de 60 anos – carteira de identidade;

Mães com até 45 dias após o parto – documento que comprove a gestação, como certidão de nascimento, cartão da gestante, documento do hospital onde ocorreu o parto, entre outros;

Doentes Crônicos – prescrição médica que descreve a doença que ficará de posse do vacinador;

Crianças de seis meses a menores de cinco anos – carteira de vacinação.

 

Locais de Vacinação:

 

CS Campina

CS Feitoria (UBS Imigrante junto ao Centro)

ESF Trensurb

ESF Cohab Duque

ESF Santo André

ESF Cohab Feitoria

ESF Rio dos Sinos

ESF Brás

ESF Santos Dumont

ESF Parque Mauá

ESF Paim

UBS Rio Branco

UBS Pinheiro

UBS Materno Infantil

UBS Padre Orestes

UBS Campestre

UBS Scharlau

UBS São Cristóvão

UBS Vicentina

 

ATENÇÃO!

 

Idoso impossibilitado de ir à sala de vacina, o responsável deverá contatar a Coordenação de Imunizações pelo telefone 3568-8690 ou 3589-6556. Ou pelo e-mail imunizaçõ[email protected].

A Vacina é contraindicada para pessoas com alergia ao ovo ou a qualquer outro componente da fórmula e para aqueles que apresentaram reação anafilática em dose anterior.

Em caso de doenças agudas febris moderadas ou graves, é recomendado adiar a vacinação até a resolução do quadro.

 

Isabella Belli

DECOM – Departamento de Comunicação

Fonte: Prefeitura SL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *