Suposto latrocínio ocorrido no final de semana é desvendado em Canoas

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (20/09), a Polícia Civil, por meio da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana – Canoas (DPRM), esclareceu os fatos acerca da morte de Andressa Ellwanger Friedrich, ocorrida na madrugada do último domingo (18), no bairro Estância Velha, em Canoas.

Segundo apurado na investigação, o suposto latrocínio teve um desfecho diverso do esperado, porquanto verificou-se a participação do marido da vítima como mentor do crime. O suspeito teria acertado com um terceiro a quantia de R$ 10 mil pelo assassinato da esposa, por conta de diversos desentendimentos entre o casal, incluindo patrimoniais.

Conforme destacou o  Diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, delegado Edilson Chagas Paim, trata-se de um crime atípico, e que choca até os policiais mais experientes pela violência e morbidez apresentada, visto que o pai retirou da filha o direito do convívio com a mãe . “Inicialmente trabalhou-se com a hipótese de latrocínio para a subtração do veículo da vítima, vindo à tona a execução por motivo passional”, disse ele.

O delegado Cristiano Alvarez, Diretor da 2ª DPRM/Canoas, contou que uma força tarefa foi montada já na madrugada do domingo a fim de desvendar os fatos. “A ação foi rápida e de forma ininterrupta para esclarecer o caso, que teve duas  linhas paralelas de investigação. O trabalho incansável dos policiais e delegados foi primordial para chegarmos ao resultado”, disse Alvarez.

Os delegados Thiago Bennemann (DFRV) e Valeriano Garcia Neto (DHD), estiveram à frente dos trabalhos investigativos. Ambos destacaram e agradeceram o interesse e desprendimento dos agentes policiais envolvidos. Destacaram, ainda, o envolvimento de toda a Polícia Civil no intuito de imediamente elucidar os fatos.

Bennemann e Valeriano ressaltaram que desde o início da investigação, os indícios levavam para outro ponto, além do roubo de veículo, uma vez que os elementos presentes não indicavam essa hipótese. “O modus operandi  soou o alerta de que não se tratava de latrocínio, e isso possibilitou a abertura de uma nova linha investigativa”, contou Bennemann.

O Chefe de Polícia, delegado Emerson Wendt, citou a importante parceria do Poder Judiciário e Ministério Público, à medida que o caso foi se desenrolando e solicitações foram atendidas de pronto.

Após terem as prisões preventivas decretadas, os suspeitos foram conduzidos à Delegacia de Furto e Roubo de Veículos (DFRV), onde os trabalhos estão concentrados.  Eles estão sendo inquiridos e novos desdobramentos poderão surgir ao longo dos próximos dias. Um terceiro suspeito é procurado pela polícia. Após os procedimentos legais, os presos serão encaminhados ao sistema penitenciário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *