Um motociclista foi preso por tentativa de homicídio após atropelar um policial rodoviário federal durante uma blitz na Serra Gaúcha

FONTE: O SUL

Um motociclista foi preso após atropelar um agente da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e tentar fugir de uma blitz, na tarde de domingo (20), no quilômetro 147 da BR-116, perto da unidade operacional da corporação em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha.

O homem de 20 anos ignorou a ordem de parada durante a barreira, acelerando a motocicleta para cima dos agentes para evitar a abordagem. Após atropelar um dos policiais rodoviários federais, o motociclista foi parado por um segundo policial presente na fiscalização e detido com o uso de algemas. O homem não possui CNH (carteira nacional de habilitação). A motocicleta tem diversas irregularidades.

O motociclista foi preso por tentativa de homicídio, desobediência e por dirigir sem possuir CNH. A motocicleta tem mais de 6.500 reais em infrações de trânsito. O agente da PRF que foi atropelado recebeu atendimento médico e passa bem.

Motocicleta roubada

Na noite de sexta-feira (18), durante fiscalização na BR-020, em Planaltina (DF), a PRF deu ordem de parada a um ônibus de turismo. No bagageiro do veículo, havia quatro motocicletas – três provenientes de leilão e uma com indícios de adulteração.

Apesar dos números dos chassis estarem raspados, os policiais rodoviários federais conseguiram identificar as motocicletas provenientes de leilão, sendo constatado que não existia ocorrência criminal relacionada a estas. A quarta motocicleta, uma Honda/NXR 160, com placa de Brasília (DF), apresentava indícios de adulteração em seus sinais identificadores. Em averiguação minuciosa, os policiais constataram que realmente se tratava de um veículo roubado e a placa ostentada pertencia a outra motocicleta.

A guia de turismo do ônibus, uma senhora de 66 anos, apresentou aos policiais a documentação da moto, que também tinha indícios de falsificação. A senhora afirmou aos policiais rodoviários que havia recebido 300 reais para levar a motocicleta até Mansidão (BA). Ela alegou desconhecer a procedência da motocicleta e disse ainda que foi paga por um morador da Ceilândia (DF).

A guia foi encaminhada para a delegacia de Planaltina e poderá responder pelos crimes de receptação e uso de documento falso. A motocicleta clonada e o documento falsificado foram apreendidos pela PRF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *